A evolução dos blogueiros

Dia desses eu tinha postado aqui a evolução dos geeks, e agora está rolando por aí a evolução dos blogueiros. Eu não consegui me achar aí, até porque o Hellfire é meio esquizofrênico, mas enfim, tá aí para os outros blogueiros tentarem se localizar. É só clicar na imagem para ampliá-la.

(Antes que eu me esqueça: passei na prova teórica do Detran. Agora são as aulas práticas ^^ )

O que eu odeio na blogosfera

6a00d8341c858253ef00e54f60280d8834-640wiA ideia é a seguinte: você escreve um parágrafo curto falando sobre algo que você odeia na blogosfera. Coisas que os blogueiros fazem, o comportamento do pessoal no comentário, manias meio sem noção e por aí vai. Depois de escrever o parágrafo, você indica outro blog para adicionar mais um aos que já foram colocados, de forma que façamos uma grande lista com colaboração de todos. E eu sei que isso parece coisa de quem não tem nada para fazer, mas eu vejo um propósito na lista: a cada dia que passa, sempre tem um novato chegando por essas bandas. O novato faz algo que te irrita, mas às vezes ele nem sabe que isso não é muito bem visto, digamos assim. Topando com a lista (e se identificando com um dos itens) quem sabe ele muda, né. Então vamos lá:

1. NOTÍCIA DIRETO DA FONTE: Ok, sejamos honestos. A verdade é que salvo raros casos (aka: o pessoal mais bem relacionado) a maior parte das “notícias” publicadas em blogs não chegam direto da fonte. Por exemplo,  muito provavelmente você ficou sabendo que a armadura do Batman no próximo filme será cor-de-rosa através de outro meio de comunicação, incluindo aí outros blogs. Então, meu filho, qual é o problema de informar em qual blog você leu sobre isso? Um linkezinho batuta ou se você ainda não aprendeu a linkar, sei lá, só cita o nome do lugar de onde você tirou a informação. Não dói. E você fica parecendo muito mais bacaninha para o sujeito que escreveu o post no qual você se inspirou.

***
Para continuar, indico o Knolex do Vida Ordinária (pelo que ele andou comentando no twitter dia desses, acho que ele também tem o que reclamar, hehe).

E então, falar o quê?

Surtei achando que não valia mais a pena essa coisa de blog1, e aí o Rodrigo (aka Slicer) escreveu um post falando basicamente da importância dos blogs, e aí eu até achei que tinha argumentos para continuar batendo o pé e não, não, não chega de Hellfire. Mas aí ele veio com essa nos comentários:

Acredite, eu sei melhor do que ninguém o que é falar pras paredes. Se eu cortar a página de nomes élficos do meu site eu teria menos de 20 visitas por dia. Mas o tamanho da minha tribo é de responsabilidade minha: eu escolhi que as pessoas que querem só os nomes em élfico não façam parte da minha tribo, eu escolhi que elas sejam indesejáveis para mim e eu escolhi escrever de uma forma que não interessa a elas. Como diria a Solange de muitos BBBs atrás, “o pobrema é meu”.

Chegar à conclusão de que você não será nunca a melhor do seu mundo sobre o que você escreve no Hellfire é um bom motivo para parar, assim como chegar à conclusão de que escrever no Hellfire lhe impedirá de ser a melhor do seu mundo em outra atividade, ou está lhe tirando a atenção de uma atividade na qual você já é a melhor do mundo.

Contudo, eu não creio que o fato de não estar sendo lida com atenção por tantas pessoas quanto você gostaria é motivo para não escrever. De fato, é a pior coisa a se fazer! Deixar de escrever não deixará sua tribo maior, o que lhe levará a nunca mais escrever e, portanto, a nunca mais dizer o que você acha que as pessoas deveriam ouvir. O equilíbrio se perde sem esse contrapeso.

E falar o que, né. Vou largar mão de frescura e tocar o barco, que esse moço está com toda a razão. Obrigada pelas palavras de novo, Slicer (é, você terá que conviver com o Slicer tanto quanto eu com o Joy =P ). E você, leitor do Hellfire,  mesmo que não esteja em crises sobre por que deveria atualizar seu blog, dê uma passada lá e leia o post dele, porque vale a pena. Amanhã voltamos à programação normal. Prometo. Ou não (já dizia Caetano).


  1. apesar da sensação-membro-amputado do tipo, preciso atualizaaaaar mesmo teoricamente não tendo mais um blog para atualizar 

Best Blogs Brazil

indique250x250Amanhã finalmente começam minhas férias. Amanhã também é o último dia para indicar seus blogs favoritos no Best Blogs Brazil 2008.  Então, se você gosta do Hellfirezinho passa lá para indicar. É só fazer o cadastro e na hora de indicar, colocar na categoria Pessoal e cotidiano sua indicação para o www.anica.com.br. E se estiver de bobeira e quiser deixar essa que vos escreve ainda mais feliz, aproveita e indica também o fófinher blog do Meia Palavra na categoria Artes e cultura. Com sorte passamos para a próxima fase e aí eu volto aqui para mendigar votos, hehehe.

E para quem acha que esses concursos são bobagem, deixa logo eu dizer para o que eu acho que serve: para ver e ser visto. Tem coisas que (INCRIVELMENTE!!!!!) os tentáculos do Google não alcançam (ok, eu nunca tenho saco de pesquisar nada que vá além da 10ª página, de qualquer modo acho que deu para ter idéia do que quero dizer). E aí muitas vezes deixamos de conhecer blogs legais ou porque não estavam na lista de links dos blogs que você freqüenta, ou porque você não clica nos links dos blogs que freqüenta, ou porque nunca deu a sorte de achar em alguma pesquisa qualquer.

Continue lendo “Best Blogs Brazil”

BlogDay 2008

Já são aí uns quatro anos que existe o tal do BlogDay e eu invariavelmente deixo passar a data. A idéia é de de nesse dia recomendar cinco blogs que recomendarão cinco blogs, que recomendarão cinco blogs… enfim, aumentar as oportunidades de conhecer coisas diferentes na blogosfera (eu sempre lembro da metáfora da biblioteca com todos os livros espalhados no chão quando o assunto é internet). Enfim, como o [barba] foi extremamente batuta indicando o Hellfire, achei que deveria ver nisso um sinal para não deixar esse dia passar.

Se você quiser participar da brincadeira também, ainda dá tempo. Só não esqueça de seguir as regrinhas lá do site do BlogDay (quer dizer, acho que a mais importante é avisar os indicados que eles foram recomendados, até para que eles possam continuar a coisa, né). Bom, vamos lá para os meus:

Continue lendo “BlogDay 2008”

Posts Memoráveis

Hoje em dia todo mundo quer tirar um pedacinho dessa história de blogs. Publicitário fazendo campanhas em função dessa ferramenta, gente “famosa” fazendo blog para criar qualquer polêmica e ganhar seu espacinho abaixo do sol, zoações aos fatos mais marcantes do momento e por aí vai. Tem o grupo dos saudosistas que dizem que a “blogosfera” não é mais a mesma, tem os que desesperadamente querem fazer parte do clubinho e bom, tem aqueles que acham blogosfera uma palavra muito feia (eu pelo menos acho).

A questão é que independente do quanto se problematize a ferramenta nos dias de hoje, ela continua sendo apenas isso: uma ferramenta. O detalhe é que alguns parecem a combinar muito bem com as palavras, e disso saem posts memoráveis. Eu não sei sobre vocês, mas eu tenho cá meus favoritos, e resolvi fazer um top com alguns deles, até para ter um registro para quando ouvir a barbaride do “blogs não servem para nada“. E antes que eu me esqueça: o top5 hoje está em ordem de “lembrança”, não em ordem de quanto eu mais gostei, hehe.

Continue lendo “Posts Memoráveis”

O óbvio em três partes

E eis que acabam as olimpíadas de 2008. Provavelmente a que menos acompanhei. Até porque convenhamos, essa coisa de ficar acordado de madrugada para ver gente praticando esporte cansa só de pensar. De qualquer modo, com o final da competição chegamos ao primeiro óbvio do dia: a participação maizomeno do Brasil. Mas sobre os esportes no Brasil eu não vou falar muito mais, não. Já falei qualquer coisa no Pan do ano passado. Deixo vocês então com uma galeria de imagens bastante interessante. Eu ainda estou tentando entender a foto do cara no barco com a bunda para fora, juro.

Outro óbvio: ontem assisti o tal do Procurado. O plot é algo mais ou menos como “nerdinho de mal com a vida descobre que o pai é um super assassino fodão e que herdou ‘poderes’ dele”. Com algo assim, é óbvio que o filme é um exagero de perseguições, explosões e balas que fazem curva. E olha, seria muito, muito legal, se tivesse senso de humor (como no caso do Mandando Bala).

Continue lendo “O óbvio em três partes”

Hellfire Club: cinco anos

(Observação: Esse post está ilustrado com algumas imagens que usei como topo durante os cinco anos de Hellfire. Na ordem: Blig, Blogspot, WordPress e o visual novo. Eu costumava guardar todas as imagens que preparava para meu blog, mas como vocês sabem, meu antigo HD fez bum então já era.)

Tudo começou às 4:27 da madrugada, há cinco anos atrás. Eu provavelmente não tinha o que fazer,  resolvi criar um blog (que na primeira semana era chamado “All You Need is Love(joy)“). O blog ainda está lá no Blig, embora com o link de algumas imagens (inclusive o topo) já quebrados. Nessa época ainda era algo beeeeem “Querido Diário”, confesso até o pecado de ter usado gifzinhos animados fofuchos em alguns posts, hehe. Mas o Blig era muito limitado e mudei para o Blogspot.

Só uma pessoa sabe o QUANTO eu me bati para aprender a mexer no código do template (e essa pessoa nem fala mais comigo, então acho que o segredo está enterrado, hehe). Madrugadas fuçando aqui e acolá até chegar onde queria. Depois, ficou tão fácil que eu mudava constantemente, mesmo quando sosseguei com a a idéia de usar a Emily the Strange, ainda assim mudava. O Hellfire também está lá, mas ficou completamente desconfigurado depois da última migração.

Continue lendo “Hellfire Club: cinco anos”

Ah, a vida real!

Dia desses estava eu na minha rotina nérdica básica,  assistindo a um episódio da série clássica de Star Trek, quando em dado momento Mr. Spock aplicava a tal da pinça vulcana num vilão, e fazia com que ele simplesmente apagasse no ato. Aí, como de costume, comecei a pirar. “Uou, já pensou que legal poder aplicar pinça vulcana em quem te enche o saco?”, pensei. Pena que não dá para aplicar pinça vulcana por telefone, para se livrar de vendedores chatos, hehe.

Enfim, nesse momento comecei a pensar em outras ‘n’ coisas que seriam interessantes se tivéssemos na vida real. A pinça vulcana ganha uma medalha de honra ao mérito, até porque foi a partir dela que veio a idéia. Mas vejamos o que mais a cultura pop pode nos oferecer.

Continue lendo “Ah, a vida real!”

Recomendações

Se os usuários de internet não produzissem tanto material novo em um espaço de tempo curto (e também, caso não fossem todos ótimos na reciclagem de assunto), talvez a coisa toda não tivesse se tornado esse monstrinho que faz com que vira e mexe fulano diga “Só vou checar meu e-mail, rapidinho!”. Algo novo que surgiu por aí recentemente foi O Discreto Blog da Burguesia. E só conferir o Top11 Posts na Comunidade Eu Odeio Literatura. O assunto é triste (pelo menos para pessoas como eu que pretendiam viver de Literatura), mas abordado de um jeito que não dá para não rir. Comecem por esse post e depois leiam tudo, o blog é muito bacana mesmo.

E para celebrar a chegada do inverno lá na escola eu ensinei meus alunos como fazer flocos de neve com papel. O negócio fez sucesso, acabei ensinando até para professores como fazer. E onde aprendi? “Na Internetz”, foi o que respondi quando um aluno perguntou. Se você não leva muito jeito para essa coisa de tesoura e papel, dá para fazer flocos virtualmente também: Make-a-Flake.

Continue lendo “Recomendações”