Daquela coisa que dá de tempos em tempos

Então que nos últimos dias tenho pensado em acabar com o Hellfire. Assim, sem drama – só tornar oficial uma coisa que já tem acontecido. A verdade é que eu me fiz em mil pedaços (pra você juntaaaaaarops, ok, sem Legião), e acabou que o Hellfire mesmo perdeu um pouco da razão de ser. Falo dos livros que leio lá no Meia Palavra, sobre zumbis no Ministry of Zombie Walks (ok, esse está mortão, coitado), compartilho referências sobre filmes, músicas e livros que gosto lá no meu Tumblr, falo sobre a vida o universo e tudo o mais no Twitter

Aí chega aqui no Hellfire e eu meio que só falo das séries e dos (poucos) filmes que estou vendo, além de caradepaumente copiar e colar post do Meia Palavra. Eu não tenho mais vontade de comentar as coisas como tinha antes, não fico mais pensando no que daria um bom post, enfim, perdi a vontade de escrever aqui.

Sei que já me despedi uma penca de vezes e voltei logo depois, e de repente esta é só mais uma dessas outras vezes. Mas fica aqui pelo menos a explicação do motivo pelo qual não tenho atualizado tão constantemente o blog. Enfim, é isso. Os links de onde me encontrar já estão no primeiro parágrafo do post, tchans.

8 anos de Hellfire Club

Eu nem ia escrever nada, mas aí vi que dia era hoje e opa, não dava para deixar passar batido como fiz ano passado, quando publiquei meus comentários do filme Eclipse no lugar de um post de comemoração. Valha-me. Mas é isso aí. 8 anos separam o primeiro post que publiquei às 4 e pouco da manhã no Blig desse post aqui. Eu gosto de pensar nas discrepâncias entre minha vida naquele tempo e agora. Pense, quatro da matina e eu criando blog. E hoje estou eu aqui aproveitando para tomar um café e atualizar o Hellfire enquanto o Arthur tira a sonequinha da manhã dele.

Oito anos… confesso que nos últimos meses cogitei algumas vezes parar de atualizar aqui. Alguns fatores contribuiram para isso. O primeiro foi aquele apagão, o monte de post perdido que eu ainda tenho que recadastrar no blog (e alguns foram perdidos mesmo, tipo o que eu falava da quarta temporada de Supernatural). Aí, eu que em passos de tartaruga estava trazendo meus posts do Blig para cá, descobri que não consigo mais acessar minha conta no blig e que alguns posts do mês que faltou migrar ficarão incompletos. Essa sensação de ter perdido pedacinhos do Hellfire me deixou meio chateada, confesso.

E somando a isso tem o fato de que realmente tenho concentrado quase todo meu tempo ao Meia Palavra, que está indo super bem, mas que por conta das parcerias está tomando um tempo bem grande da minha vidinha para deixar as leituras em dia (esta semana tive que fazer mágica com Orgulho e Preconceito, por exemplo). Antes que soe errado, não estou me queixando. Sempre disse que seria a pessoa mais feliz do mundo no dia que eu ganhasse livros para resenhar, e é o que está acontecendo. Mas é só explicando porque agora no Hellfire tem muito mais post sobre livros do que sobre filmes e séries, por exemplo.

De qualquer forma, a intenção é continuar, nem que o ritmo de atualização diminua. Então é isso aí, oito anos. E obrigada aos que continuam passando por aqui e de certa maneira acabam me incentivando a continuar.

 

Agora aos comerciais (ou: Sobre o Megadodo)

A história é assim: Hellfire estava no Blogspot, aí o Fábio descobriu “essa ferramenta nova chamada WordPress” e insistiu que eu tinha por a + b que mudar o Hellfire para um servidor próprio, usando o tal do WordPress. Eu disse que não, não e não e ele foi lá e migrou por conta própria, hospedando no servidor da Valinor para mostrar como era legal. E ok, funcionou, estou por aqui desde novembro de 2005, pagando o www.anica.com.br todo ano e não me arrependo da mudança, o WordPress é realmente melhor do que o Blogspot, e ter o WordPress em servidor próprio é ainda melhor, já que posso colocar todas as quinquilharias que der na minha telha.

Salto no tempo, vamos para novembro de 2007. Como pode perceber, o Fábio fica muito pró-ativo em novembro. Então eu comento com ele por cima sobre a ideia de um fórum sobre literatura, mas fico naquela de “deixa pra lá, nem vale a pena”. Ele bota fé, encontra o MyBB, um sistema parecido com o que utilizávamos na Valinor, mas de graça e pans, bota o Meia Palavra no ar para mim. E desde 2007 pago o www.meiapalavra.com.br bonitinho, e não só não me arrependo como sempre serei grata ao Fábio por ter acreditado e colocado a coisa para funcionar quando eu estava quase abandonando o projeto. Sem ele, nem o blog existiria.

Continue lendo “Agora aos comerciais (ou: Sobre o Megadodo)”

A evolução dos blogueiros

Dia desses eu tinha postado aqui a evolução dos geeks, e agora está rolando por aí a evolução dos blogueiros. Eu não consegui me achar aí, até porque o Hellfire é meio esquizofrênico, mas enfim, tá aí para os outros blogueiros tentarem se localizar. É só clicar na imagem para ampliá-la.

(Antes que eu me esqueça: passei na prova teórica do Detran. Agora são as aulas práticas ^^ )

We’re not in Kansas anymore, Toto

Sim, como devem ter percebido, desde o final de fevereiro o Hellfire estava fora do ar. Após um problema com o servidor todos os sites hospedados no servidor da Valinor  foram para as cucuias, e com isso veio o desânimo, a necessidade de cuidar do Meia Palavra (que passou pelos problemas) e acabei deixando o retorno do Hellfire para o fim.

Até cogitei não continuar, e depois pensei “Vou mudar as coisas quando voltar”, mas a verdade é que sou preguiçosa e adoro uma rotina, e as coisas vão continuar do jeitinho que eram: eu escrevendo aleatoriamente sobre filmes, livros, séries e o que mais der na telha.

Então cá estou eu novamente, embora ainda em processo de recuperação de alguns posts entre agosto do ano passado e o dia do apagão. Logo as coisas voltam ao normal e tudo será como se eu tivesse passado uma temporada (quase um mês) fora, prometo.

E antes que eu me esqueça: já sei o sexo do bebê, será um meninão. Previsão de nascimento agora é 04 de setembro. ;D

Eu sei, eu sei…

… é um padrão mesmo. Minha rotina muda, e eu paro de atualizar mesmo que tenha tempo e coisa para escrever. Um dia busco a resposta para isso, mas não se apoquentem, não é o fim do Hellfire. Enquanto isso, fiquem com esse gatinho fofo aí, video que eu vi no twitter do Uvatar.

I CONCURSO DE CONTOS MEIA PALAVRA

meiatwitterHoje começa nova fase do I CONCURSO DE CONTOS MEIA PALAVRA, a escolha do público. Estão participando do concurso 14 contos ao todo, publicados no Fórum Meia Palavra.  São eles: Bicho-Papão, A Cidade dos Malditos, Lado Negro, Vendetta, Constante, A Mudança, Cúmplices, Sobre pássaros que não se vêem e cachorros que fedem, O Próximo, Do amor se fez escamas, Tsaritsina, A velha do carvalho, (A)mar e Das Estrelas à Stella. Para escolher o melhor conto, basta visitar o tópico com a enquete no Meia Palavra.

E se você queria ter participado mas perdeu a chance, não se preocupe porque logo outros concursos surgirão lá no Meia Palavra, e não só de contos. No mais, agradeço de coração a todos que toparam participar enviando contos. Esse concurso só foi possível por causa de vocês.

PS. Sim, mudei o visual do Hellfire. Finalmente me rendendo às três colunas, há, há.

E então, falar o quê?

Surtei achando que não valia mais a pena essa coisa de blog ((apesar da sensação-membro-amputado do tipo, preciso atualizaaaaar mesmo teoricamente não tendo mais um blog para atualizar)), e aí o Rodrigo (aka Slicer) escreveu um post falando basicamente da importância dos blogs, e aí eu até achei que tinha argumentos para continuar batendo o pé e não, não, não chega de Hellfire. Mas aí ele veio com essa nos comentários:

Acredite, eu sei melhor do que ninguém o que é falar pras paredes. Se eu cortar a página de nomes élficos do meu site eu teria menos de 20 visitas por dia. Mas o tamanho da minha tribo é de responsabilidade minha: eu escolhi que as pessoas que querem só os nomes em élfico não façam parte da minha tribo, eu escolhi que elas sejam indesejáveis para mim e eu escolhi escrever de uma forma que não interessa a elas. Como diria a Solange de muitos BBBs atrás, “o pobrema é meu”.

Chegar à conclusão de que você não será nunca a melhor do seu mundo sobre o que você escreve no Hellfire é um bom motivo para parar, assim como chegar à conclusão de que escrever no Hellfire lhe impedirá de ser a melhor do seu mundo em outra atividade, ou está lhe tirando a atenção de uma atividade na qual você já é a melhor do mundo.

Contudo, eu não creio que o fato de não estar sendo lida com atenção por tantas pessoas quanto você gostaria é motivo para não escrever. De fato, é a pior coisa a se fazer! Deixar de escrever não deixará sua tribo maior, o que lhe levará a nunca mais escrever e, portanto, a nunca mais dizer o que você acha que as pessoas deveriam ouvir. O equilíbrio se perde sem esse contrapeso.

E falar o que, né. Vou largar mão de frescura e tocar o barco, que esse moço está com toda a razão. Obrigada pelas palavras de novo, Slicer (é, você terá que conviver com o Slicer tanto quanto eu com o Joy =P ). E você, leitor do Hellfire,  mesmo que não esteja em crises sobre por que deveria atualizar seu blog, dê uma passada lá e leia o post dele, porque vale a pena. Amanhã voltamos à programação normal. Prometo. Ou não (já dizia Caetano).

Back in Black

Para ninguém dizer que não cumpro minha palavra, voltei ao preto. Para falar bem a verdade, o branco não rolou mesmo, independente da enquete. Parecia que eu estava postando em um blog de outra pessoa. Agora fica aqui o registro: depois de passar o sábado inteiro mexendo em templates, só mudo no ano que vem. Isso se mudar! E antes que os 40 a favor do branco se manifestem, já digo que o é o novo preto e eu sou uma pessoa bastante tradicional.

No mais, deixo um abraço para o Alisson, colega do Fábio que estava torcendo para o retorno do pretinho básico (pelo menos segundo o Fábio, eu espero que “Alisson” não seja um amigo invisível e essas coisas). Deixo também uma sugestão para os órfãos de Arquivo X: a partir de 9 de setembro assistam Fringe, a série nova da Warner. O elemento estranho é outro, mas no final a história é igual. E é isso. Amanhã eu volto.