Ah, a vida real!

Dia desses estava eu na minha rotina nérdica básica,  assistindo a um episódio da série clássica de Star Trek, quando em dado momento Mr. Spock aplicava a tal da pinça vulcana num vilão, e fazia com que ele simplesmente apagasse no ato. Aí, como de costume, comecei a pirar. “Uou, já pensou que legal poder aplicar pinça vulcana em quem te enche o saco?”, pensei. Pena que não dá para aplicar pinça vulcana por telefone, para se livrar de vendedores chatos, hehe.

Enfim, nesse momento comecei a pensar em outras ‘n’ coisas que seriam interessantes se tivéssemos na vida real. A pinça vulcana ganha uma medalha de honra ao mérito, até porque foi a partir dela que veio a idéia. Mas vejamos o que mais a cultura pop pode nos oferecer.

Teletransporte: essa não é uma referência só ao Star Trek. A ficção científica está recheada disso. Eu confesso que é meu sonho de consumo, e fico até aqui pensando que batuta seria se todos tivessem acesso ao teletransporte. Seria o fim dos congestionamentos! Poderíamos usar o tempo que atualmente gastamos em deslocamento de um ponto ao outro da cidade para o lazer!

Apagando Memórias Indesejáveis: Essa é do filme Brilho eterno de uma mente sem lembranças. Bom, eu conheço sujeitos que conseguem apagar fácil fácil memórias ruins, como se realmente existisse um botãozinho ou algo do tipo, que fosse só clicar e pronto. Já no meu caso, não dá. Eu fico remoendo, sabe. Penso em coisas que poderia ter dito na situação, coisas que NÃO deveria ter dito na situação… o que nos leva à próxima idéia bacana.

Viagem no Tempo: Ok, você assistiu De volta para o futuro e sabe que é perigoso mexer com o passado. E se todos fossem capazes de fazê-lo, então seria um pandemônio. Mas é TÃO tentadora a idéia de poder consertar erros e tomar as decisões certas. Acabar de vez com a metáfora de que a vida é um rascunho. No final das contas, com essa opção talvez já dê para chegar nas outras, né? E uouuuuu, skate flutuador!!!!!!

Telecinésia: Essa aqui é o sonho dos preguiçosos. Imagina, ao invés de ter que levantar para pegar o controle remoto, você olha fixamente para ele e então o objeto virá flutuando até suas mãos. Genial. Nunca fui muito fã da Jean Grey, mas esse poder dela é muito batuta. Chega de “Passa o sal”! O negócio é o poder da mente!

Aproveito para deixar aqui a pergunta: o que você vê em filmes, livros e séries e acha que seria extremamente úteis na vida real? Deixo aqui a sugestão para o Knolex do Vida Ordinária (que é chegado em um top5) e para o pessoal do Battle Nerds (que sacam bastante dessas referências nérdicas, suponho).

9 comentários em “Ah, a vida real!”

  1. Então, a ciência não está muito longe de nos proporcionar essas coisas todas:

    Apagando memórias ruins: http://cienciaesaude.uol.com.br/ultnot/efe/2008/04/30/ult4429u1643.jhtm

    Teletransporte: Conversando com um amigo fã de Star Trek há algum tempo, ele me contou como funcionariam os teletransportes. É muito simples se tivermos a tecnologia ideal. Basta uma máquina para reorganizar os átomos da coisa que será transportada em um segundo local, onde ele não estivesse presente. Talvez demore para que possamos fazer isso, mas é algo cientificamente possível!

    Telecinesia: um professor de química que tive no ensino médio andou nos explicando como a telecinese pode ser possível. Não lembro de tudo o que ele disse, mas ele partia do pressuposto de que, se tudo no universo é, invariavelmente, energia, o que temos que encontrar é uma maneira de manipular essa energia. A possibilidade de fazermos isso é real, mas remota =P

  2. Eu queria era ter poderes mutantes que me possibilitassem todas as maravilhas descritas acima. Detesto ter de depender de máquinas, detesto máquinas em geral.

    Com o poder do vôo, não dependeria mais de carros idiotas.

    Com o poder do teleporte, adeus perda de tempo em estradas imbecis.

    Com leitura mente, bye bye mal entendidos e barreiras na comunicação.

    Com viajem temporal, consertaria imediatamente todas as idiotices que cometi no passado.

    Telecinésia é um sonho para usos diversos.

    Eu não poderia ter de jeito nenhum o poder de explodir, ou eu me explodiria de uma vez, junto com o planeta e todo mundo.

  3. Teletransporte seria ótimo, mas sempre me lembro dos filmes que mostram quando isso dá errado, como A Mosca ou A Fantástica Fábrica de Chocolate. Não é agradável pensar na possibilidade do sistema dar pau na hora em que for reorganizar suas moléculas.

    Quanto a viagens no tempo, eu preferiria conhecer o futuro e não mexer no meu passado. Não gostaria, entretanto, de passar por algo semelhante ao que ocorreu com um certo personagem de Livros da Magia, que teve de voltar pelo caminho difícil ao passado.

    A possibilidade de leitura de mentes alheias é tanto fascinante quanto amedrontadora, afinal é difícil de se conceber uma sociedade em que ninguém tivesse superego, em que não houvesse mentira. Haveria comunicação perfeita, sem ruídos, mas seria também o fim da privacidade. Qualquer estranho poderia ter acesso ao que estivesse em minha mente, seja a senha do banco, uma fantasia sexual ou um sonho.

    Quanto à pergunta feita, acho que o dom da premonição seria útil, se fosse possível controlá-lo. Seria uma forma menos perigosa de modificar o presente, tendo conhecimento do futuro sem viajar até o mesmo.

    Ah, às vezes, dá vontade de poder aplicar um Five Point Palm Exploding Heart Technique em certas pessoas. Uma pinça vulcana parece pouco nessas ocasiões.

  4. tudo o que eu queria nessa vida era não precisar dormir, que nem aquele mutante coadjuvante de x-men 2. imagina. nunca pregar os olhos e mesmo assim nunca ficar exausto. imagina como poderíamos nerdar mais, fazer mais coisas. é tipo ter mais uma vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *