Beatles 3000

Sabe quando você está trocando de canal e para em um documentário do History Channel resgatando detalhes da vida de alguma personagem que viveu séculos e séculos atrás, fazendo reconstituição do que poderia ser seu cotidiano e afins? Pois é, um pessoal fez um mockumentary onde um pessoal lá de 3000 e tanto investiga um dos fenômenos mais marcantes da história… Os Beatles.

Ficou muito engraçado, vale a pena ver. Infelizmente, só em inglês e sem legenda (se alguém achar legendado me avise que eu coloco aqui ^^ ).

(se semana que vem eu colocar outro video relacionado com os Beatles, começo o “video dos Beatles da semana” aqui no Hellfire, prometo).

The Guritles

Eu já disse mais de uma vez aqui que quando o assunto é video na internet, eu sou tipo marido traído, sempre a última a ficar sabendo. Então quando posto algo assim no Hellfire nem é com pretensões de divulgar para outras pessoas (que certamente já assistiram), mas mais para manter registro mesmo, há. Hoje cedo vi The Guritles e achei muito batuta e resolvi colocar aqui. Queria um desses versão curitibana, tipo The piátles, hehehe
Direção de Marcelo Monegal e Lucio Dorfman, da DM Arts Produtora.

and in the end…

Eu não jogo video game, eu não curto muito ficar postando videozinhos aqui no Hellfire, mas acabei de ler um tweet do @inagaki linkando para uma animação de The End dos Beatles, feita para o Rock Band, e ahhhh, muito legal. Então vou compartilhar, né? Até porque eu acho os versos dessa música geniais: and in the end, the love you take is equal to the love you make.

Paul is dead!

Acabei de ver no twitter, via @jussaraleite que viu no @conversando. É uma história da Turma do Penadinho com 28 referências às músicas dos Beatles. Quantas você consegue encontrar? Vendo meio por cima já achei 13. Para conferir, clique na imagem abaixo:

paulpenadinho

28 anos sem John Lennon

Por uma diferença de um mês e míseros dez dias eu e John não vivemos na mesma época. Eu acho que é o tipo de cálculo que só um fã faria. Não sei explicar ao certo o que faz com que passemos a admirar um artista ao ponto de se importar com esse tipo de coisa (“puxa, novas músicas não serão lançadas”? talvez), mas ei, não tem gente que tenta se matar só porque o time caiu para a segunda divisão? Poisé, somos todos uns doidos.

Mas o fato é: você pode odiar Beatles. Você pode achar superestimado, “música de mocinha”, repetitivo, chato. Mas faça uma consulta ligeira no All Music para ver quantas bandas foram influenciadas pelos caras. No mínimo, há de se admitir que se você não curte, muito dos sujeitos que você escuta curtiam. Por isso hoje, 28 anos depois, não tem como não ficar chateado ao pensar em quantas canções assinadas por esse sujeito poderiam ter sido lançadas. No mais, a Fernanda do Eudiriaque… (( que fechou as portas =(((((((((((( )) escreveu o texto mais bacana sobre esse dia 8/12 há três anos.

Across the Universe

Eu ando bastante enrolada para ver os filmes que possivelmente gostarei. Tipo Dark Knight, que vi coisa de um mês atrás. E agora essa semana finalmente assisti Across the Universe. Beatles, né. Não tinha como não gostar. Mas foi ficando para outro dia, outro dia… e acabei assistindo só porque meus alunos pediram. E bem, no final das contas é aquilo: filme encantador.

O musical conta a história de Jude, o rapaz de Liverpool que viaja aos Estados Unidos em busca do pai, o que acaba funcionando como fundo para mostrar os eventos dos anos 60 com músicas como Something e All you need is love de fundo. Aliás, é engraçado como de certa forma você começa a pensar “Quando é que colocarão tal música? E Hey Jude, quando entra?”, hehe.

Continue lendo “Across the Universe”

Cansada e chateada

Nem ouvir Beatles ajudou, mesmo porque parei em Eleanor Rigby e deixei no repeat. Essa música é estranha, ela me deixa triste não pela letra, mas pela melodia mesmo… Anyway, vou colocar a letra aqui. Outra hora falo melhor de Beatles.

Eleanor Rigby – Beatles

Ah, look at all the lonely people
Ah, look at all the lonely people
Eleanor Rigby picks up the rice in the church
where a wedding has been
Lives in a dream
Waits at the window, wearing the face that
she keeps in a jar by the door
Who is it for?

All the lonely people
Where do they all come from ?
All the lonely people
Where do they all belong ?

Father McKenzie writing the words of a sermon
that no one will hear
No one comes near.
Look at him working. Darning his socks
in the night when there’s nobody there
What does he care?

All the lonely people
Where do they all come from?
All the lonely people
Where do they all belong?

Eleanor Rigby died in the church
and was buried along with her name
Nobody came
Father McKenzie wiping the dirt
from his hands as he walks from the grave
No one was saved

All the lonely people
Where do they all come from?
All the lonely people
Where do they all belong?