Across the Universe

Eu ando bastante enrolada para ver os filmes que possivelmente gostarei. Tipo Dark Knight, que vi coisa de um mês atrás. E agora essa semana finalmente assisti Across the Universe. Beatles, né. Não tinha como não gostar. Mas foi ficando para outro dia, outro dia… e acabei assistindo só porque meus alunos pediram. E bem, no final das contas é aquilo: filme encantador.

O musical conta a história de Jude, o rapaz de Liverpool que viaja aos Estados Unidos em busca do pai, o que acaba funcionando como fundo para mostrar os eventos dos anos 60 com músicas como Something e All you need is love de fundo. Aliás, é engraçado como de certa forma você começa a pensar “Quando é que colocarão tal música? E Hey Jude, quando entra?”, hehe.

A seleção não é assim tão óbvia, tem algumas canções menos conhecidas no meio. E é interessante notar como de certa forma a história acompanha o desenvolvimento musical dos Beatles, começando daquela fase mais inocente e com o aumento da tensão na história passando para a fase mais madura da banda. O resultado são momentos de arrepiar, como quando Jude começa a cantar Strawberry Fields:

Além de cenas no mínimo curiosas, especialmente no momento mais ‘psicodélico’ da história, quando Jude e os amigos acabam embarcando em um ônibus atrás de um tal de Dr. Robert, que é nada mais nada menos do que o sr. Bono Vox cantando I am the Walrus.

Não sei se é um filme para agradar apenas fãs de Beatles (ou apenas quem tem o mínimo de conhecimento sobre a década de 60), mas acho que está acima da média e vale conferir, de qualquer modo. Nem que seja para avançar até o ponto em que o amigo de Jude, Max, é convocado para a guerra – é a partir daí que música e filme se mesclam de forma mais perfeita, sem deixar aquela sensação esquisita que alguns musicais deixam no momento que a personagem passa da fala para a cantoria.

Em tempo: Revolution ficou perfeita. Quando Jude começa a cantar para a namorada:

You say you want a revolution
Well, you know
We all want to change the world
You tell me that it’s evolution
Well, you know
We all want to change the world
But when you talk about destruction
Don’t you know that you can count me out
Don’t you know it’s gonna be all right
all right, all right

Quase parece que a música foi composta para o filme, e não que a cena foi criada a partir da música. Muito, muito legal mesmo.

3 comentários em “Across the Universe”

  1. é, êu acabei deixando isso mais claro no meu post lá na valinor, mas acho que concordamos sobre o começo do filme ser meio forçado (vc dividiu entre antes e depois do bono, eu coloquei em antes e depois do max ser convocado). mesmo assim, pela segunda metade eu acho que já vale a pena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *