Evocando espíritos

haunting_in_connecticutHistórias de fantasma não precisam ser verdadeiras para assustar. Até porque dependendo de sua crença, você poderia até estar vivendo em uma sem se dar conta disso, buscando respostas racionais para o que acontece. Então eu nem quero entrar nos méritos de Evocando espíritos mostrar já logo no começo o famoso “baseado em fatos reais”, porque verdade seja dita, o cinema molda os tais dos fatos reais da forma como acha melhor, e isso não quer dizer necessariamente se manter fiel aos acontecimentos.

Mas o fato é que o filme assusta. E muito. Eu já tinha perdido minhas esperanças com o horror norte-americano e pans, vem esse aí. Em teoria não é muito diferente de Terror em Amityville, com uma família mudando-se para uma casa “com uma história”. No caso da família Campbell, o novo lar em Connecticut fora uma funerária. Ok, até aí nada assustador.

Porém, passado um tempo, o filho mais velho (que está passando por um tratamento contra um câncer) passa a ver coisas. E por coisas, podemos dizer que é o passado da casa. E aí você descobre que ser uma funerária não é bem a “história” da casa, ou pelo menos não o pior. Num primeiro momento é só Matt que vê o que acontece, mas aí começam as cenas de crianças brincando de esconde-esconde e você sabe que disso só pode dar caca e bem, dito e feito.

Apesar de não ter gostado do momento Scooby-Doo, com a irmã de Matt fazendo pesquisa para descobrir o que aconteceu na casa (de certa forma as visões do menino já tinham revelado o que aconteceu, essa parte foi para os mais lerdinhos entenderem, acho), o filme é MUITO bom. Como filme de horror, devo lembrar. A tensão é desenvolvida de tal maneira que dei pelo menos uns dois pulos de susto no sofá.

Algumas curiosidades:

Um comentário em “Evocando espíritos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *