2 girls 1 cup

Meses atrás rolou um videozinho pela internet com um bichinho (lêmure? I like to move move it, move it?) que começa a esbugalhar os olhos e tudo o mais. Algumas pessoas até colocaram efeitinhos sonoros para fazer a coisa toda mais engraçada, como você pode conferir aqui. Enfim, tinha gente mais desocupada ainda que um tempo depois resolveu resgatar o que já era notícia requentada e fizeram um gif animado usando o tal do lêmure dramático. Para entender a piada, primeiro você precisa entra no submundo nerd e entender o que significa 2 girls 1 cup (você não é nerd enough caso ainda não saiba, sinto dizer). Para saber mais sobre isso, é claro que você consultará a wiki. Pode deixar que eu economizo seu tempo e deixo já aqui o link para o artigo 2 girls 1 cup. E bem, vamos agora à animaçãozinha, certo?

Filme de Asilo Arkham

Infelizmente, só mais um fan-film, mesmo assim é daqueles bons (tipo o Dead End que circulou bastante na internet há uns tempos). Eu não sei sobre vocês, mas na minha opinião a HQ Asilo Arkham (texto do Grant Morrison e arte do Dave McKean) é uma das melhores histórias do Batman de todos os tempos. Acredito que nenhuma dupla conseguiu com tamanha perfeição passar o tom de pesadelo que impera naquele hospício. E o fato é que esse filme, feito por Miguel Mesas é uma adaptação perfeita. Parece até que a arte do McKean saltou do papel para a tela, está muito legal mesmo. Vale a pena conferir (a parte ruim é que aí dá vontade de ver um filme todo baseado em Asilo Arkham).

Piece of Me, Piece of You

Não, não vou falar de Britney ou coisa do tipo. Na realidade, passarei uma dica para o pessoal que curte histórias com zumbis, o video Piece of Me, Piece of You criado por Three Legged Legs. É uma animação/musical feita com marionetes, divertidíssima. Se gostar do video, continue lendo a página porque tem todas as informações de como ele foi realizado. Vale a pena, o resultado é muito bacana mesmo! Para assistir ao video, basta clicar na imagem abaixo (você precisará ter o Quicktime instalado no seu computador).

Há 20 anos…

tvpirata.jpgTem coisa que só funciona no seu próprio tempo. Luci, por exemplo, comentou uma vez em uma aula sobre Shakespeare que o bardo não seria *o* bardo se tivesse nascido alguns anos antes, ou alguns anos depois. Foi a soma de tudo que acontecia onde ele vivia que fez dele o que ele foi (e ainda é). Acho que outras coisas se encaixam nisso também, como por exemplo, a TV Pirata.

Quem tem menos de 20 e não teve a oportunidade de acompanhar, é só procurar no YouTube. Bate uma saudade danada ver aqueles quadros de humor afiado, as tirações de sarro com propagandas e programas do momento. Mas, retomando minha teoria das coisas que só funcionam em seu próprio tempo, acho que mesmo que caso a Globo resolvesse unir todos os membros, já não seria igual. TV Pirata foi aquilo, não tem como resgatar senão assistindo aos vídeos antigos.

Continue lendo “Há 20 anos…”

The Salmon Dance

Tempos atrás reclamei que a MTV não era mais a mesma, mas felizmente algo aqui e acolá se salva. Uma das coisas que ainda justificam o ‘M’ é um momento durante os intervalos quando mostram trechos de clips e comentários sobre esses, o que é no final das contas uma oportunidade para você conhecer coisas que não conheceria normalmente.

Um exemplo? Bom, eu já ouvi lá duas ou três músicas do Chemical Brothers, mas não é de fato a minha praia. Mas aí eu vi o clip de “The Salmon Dance” na MTV e agora a música não sai da minha cabeça. E o video é hilário (adoro o baiacu, hehehe), veja só:

Continue lendo “The Salmon Dance”

Georgette Plays A Goth

Se você tem problemas com musiquinhas que grudam na cabeça, nem assista esse clip. Vi lá no blog do Neil Gaiman e me apaixonei. JuhjuhjuhGeorgette! JuhjuhjuhGeorgette! A música chama-se Georgette Plays a Goth, e está no mais recente álbum da banda americana Tullycraft. E sim, o clip é muito, muito cute.

Guilty Pleasure

Prazer com culpa, prazeres culposos ou algo que o valha. Não acho que soe bem em português, nesse caso a expressão em inglês serve bem. Enfim, tudo isso para confessar o mais recente, pelo menos sobre música: eu acho que gosto de Sexy Back do Justin Timberlake.