Aniquilação (Jeff VanderMeer)

1-aniquilação(Eu juro que me esforcei para segurar os spoilers, caso você acabe tropeçando em um, desculpa, mas eu ainda acho que livro bom é livro que resiste aos plot twists e qualquer outro tipo de informação adiantada, e olha, certeza que Aniquilação sobrevive. Ah sim, e antecipadamente já peço desculpas para quem acha que trilogia/série só se avalia depois que todos os volumes já foram lidos. Fuéééém.)

Já tinha visto algo sobre Aniquilação aqui e acolá, mas ele acabou atraindo minha curiosidade ao derrotar o Dept. of Speculation no ToB deste ano (Spoiler: nenhum dos dois foi para frente, o vencedor desta edição foi o Station Eleven). Sabe como é, gostei demaaaaais do livro da Offill, então mesmo dando o benefício da dúvida (sabe como é, visão subjetiva, o que toca uma pessoa pode não dizer nada para outra, etc) ainda assim você fica com a ideia de que só poderia ser um livro acima da média. E é. [birra]Só não é melhor que Dept. of Speculation[/birra].

Mas sei lá, aqui não sou obrigada a comparar banana com alface só porque são do reino vegetal, então vamos deixar as comparações de lado. Porque são livros distintos, que atraem públicos diferentes, no final das contas. A começar, Aniquilação é um livro de terror. Você pode colocar lá mais ‘n’ gêneros, subgêneros, rótulos ou o que for, mas essencialmente, Aniquilação é um livro de terror. E é uma aula sobre como fazer terror em literatura.

A premissa básica já deve ter até pintado por aí, pelo menos aos pedaços. A ideia da Área X lembra vagamente Roadside Picnic dos Strugatsky, por exemplo. A Área X de Aniquilação é uma região isolada do resto do mundo, explorada de quando em quando por grupos com especialistas que devem descrever em seus diários o que encontram naquele lugar. Agora vem aqui o truque, o que faz desse livro algo tão legal: os especialistas são hipnotizados antes de entrar na Área X. Já é algo para deixar o leitor desconfiado, mas então descobrimos que a Bióloga que narra a história já nos primeiros dias da expedição é exposta a uma substância que a torna imune à hipnose. E mais: ela descobre que a Psicóloga da expedição usa hipnose não só para atravessar a fronteira para a Área X, mas para impor autoridade e convencê-las a praticar determinadas ações, por exemplo.

Para piorar toda a situação, a expedição encontra um túnel (torre!!) que apresenta palavras cheias de microorganismos na parede. Quem está escrevendo aquilo? O que significam aquelas frases? O que são aqueles microorganismos? Mal avançamos na leitura e já são tantas perguntas e tantos momentos “WUUUUUUUT???” que Aniquilação acaba sendo um daqueles livros que você sabe que não vai conseguir abandonar.

Mas o bacana mesmo é como VanderMeer mistura os elementos para contar essa história. Um tico de foreshadowing aqui (“I would tell you the names of the other three, if it mattered, but only the surveyor would last more than the next day or two“), um outro tanto de informações novas que jamais teriam passado na cabeça do leitor, narrador não confiável (a Bióloga não tem certeza sobre os efeitos da substância que ela entrou em contato) e coloque aí uma ambientação de cair o queixo: a Bióloga te coloca dentro da Área X, e você consegue ver cada um dos seres descritos, alguns bastante arrepiantes.

E veja bem, quando falo que Aniquilação é uma aula sobre como fazer terror em literatura, é principalmente por causa da ambientação. Aquela primeira visita ao túnel (torre!!) fica gravada na memória. O modo como VanderMeer consegue sustentar a tensão descrevendo o espaço é algo digno de nota (não sei sobre vocês, mas quando Tolkien começava aqueles parágrafos gigaaaaaantes de descrição eu Zzzzzzzzzzzzzzzzz…).

Ok, complica um pouco ter lá martelando na sua cabeça que o livro tem continuação (é uma trilogia), aquela dúvida sobre como é que o autor conseguirá dar um final que Aniquilação merece (pelo menos como obra de horror) sem que isso seja esculhambado pelos outros livros. Ou ainda:  ele terá uma conclusão ou eu serei obrigada a ler os outros livros? Bem, tenha fé, pequeno gafanhoto: o final é digno de histórias de terror (sei que pode ser um tanto frustrante sair sem TODAS as respostas, mas não acho que terror seja sobre isso) e eu que ainda nem li os outros dois livros terminei com a sensação de que bem, não faz a menor diferença o que vem a seguir, mesmo que sejam ruins dá para ignorar e o primeiro continuar ganhando muito amor (sabe, como a gente faz sobre Matrix e aqueles outros dois filmes?).

E é isso. Ainda volto para a Área X com Authority, só vou dar um tempo porque no fundo meu maior medo sobre os outros dois livros é que eles comecem a dar muitas respostas para o que foi levantado ali. Aniquilação não depende disso para ser bom. Dando um exemplo, o arrepio que você sente quando a Bióloga fala de um golfinho com olhos humanos já basta, não importa como aquele golfinho chegou ali, ou o que a presença dele significa.

Para quem ficou curioso, aqui no Brasil o livro saiu pela Intrínseca no ano passado com tradução do Braulio Tavares. Até onde eu vi, os outros dois livros ainda não foram lançados – se achar maiores informações edito aqui.

Editado: Gabriel acabou de contar que Autoridade sai aqui no Brasil ainda neste semestre.

4 pensamentos em “Aniquilação (Jeff VanderMeer)”

  1. Oi Anica! Queria muito saber se vc tem conta no site Filmow ?
    Pergunto pois sempre assisto suas indicações de filmes e adoro todas!
    Desculpe estar perguntando por aqui, mas não sei outra maneira de entrar em contato com vc,rs.

    Beijos <3

  2. Vish, Samara, sabe que apesar de ver alguns amigos usando eu nunca fiz cadastro lá? Vou dar uma olhada, caso comece a usar eu te aviso por aqui, ok? E nem se incomode sobre o lugar dos comentários, a ideia é ter um canal aberto para conversar mesmo, seja do que for 😉

    =*

  3. Oi Anica,
    Comprei “Aniquilação” há uns 2 anos e li agora, sem esperar muito… Gostei bastante do livro e to ansiosa pra ver o filme… Eu fiquei com a mesma sensação que você.. com medo de ler as continuações e me decepcionar, até porque li algumas críticas ruins. Mas não estava me aguentando e comecei a ler “Autoridade”, rsrsrs. Depois volto pra te contar! Abraços, Flávia.

    1. Eu continuo me enrolando com a continuação por causa desse meu medo de que estrague o primeiro livro +_+ Depois que terminar me conta o que achou =]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *