O Bizarro

eldiadelabestiaNos últimos dias Fábio resolveu procurar por filmes de horror mais bizarrinhos, não necessariamente trash, mas simplesmente fora daquela linha mainstream ou algo que o valha. Vou comentar sobre dois deles, mas peço que levem em conta que ambos se incluem no que seria o gênero “terrir”, então é o tipo de filme que simplesmente não dá para assistir se você está de mal com o mundo.

Um deles é  o franco-italiano (é O_o) O Dia da Besta (de 1995), o outro é Jesus Christ Vampire Hunter (de 2001). E algo que achei interessante é que de certa forma a música é uma questão marcante para os dois filmes, embora de forma diferentes.  E sim, certeza de que os diretores e o elenco seriam excomungados se vivessem no Recife. Vamos lá, aos comentários:

O Dia da Besta: após decifrar as escrituras um padre descobre que o anticristo nascerá no Natal, em Madrid. So far, já dá para dizer que vimos dezenas de filmes do tipo, certo? A diferença começa no momento que o padre resolve cometer todos os pecados possíveis para entrar em contato com o diabo e saber o local do nascimento do anticristo. Rende momentos hilários, como por exemplo quando ele começa a roubar mendigos, ou quando vai até uma loja de músicas para ouvir discos de heavy metal para tentar receber alguma mensagem do lado do mal.

O filme é surpreendentemente bem feitinho, até porque com um plot desses você espera um trashzão de marca maior, certo? Tem lá toda aquela pinta anosnoventa, o que inclui péssimos efeitos especiais, mas é muito bom. Até porque ele não é terrir naquele sentido de ser todo mal feito, o que permite que ainda exista o terror (especialmente quando se aproxima da conclusão). Comecinho do filme (não achei trailer ¬¬):

jesuschristvampirehunterposterJesus Christ Vampire Hunter: Se O Dia da Besta é cômico por causa do plot, Jesus Christ Vampire Hunter vai além. É trash mesmo, daqueles da pior qualidade, com péssima direção, péssima atuação, péssimo roteiro, péssimo tudo… mas ainda assim um filme legal. No final das contas acaba divertindo justamente por causa disso, acredito eu. A história é exatamente o que o título indica: Jesus aparece para matar vampiros que se alimentam do sangue de lésbicas.

É bem zoado, mas tem seus bons momentos, como quando Jesus fala com deus (que “aparece” como uma tigela de cerejas para o filho) ou quando Maria “liga” para Jesus para saber como ele está. No final das contas o filme é tão ruim que não sobra espaço para o terror,  mesmo com cenas mais ensanguentadas você nem presta muita atenção porque bem, é tudo mal feito. Mas pelo menos é engraçado (não tanto quanto poderia ser, mas rende umas risadas, como na cena dos ateus), então é daqueles filmes que vale a pena assistir pela curiosidade mesmo (ou pelo menos para os fãs dos filmes B). Trailer para vocês verem qualé:

<center :

4 comentários em “O Bizarro”

  1. Eu só vi o antigo, nem sabia que tinha um remake. Outro que é interessante (eu não vi, tô com ele aqui na queue list) é o Espírito de la colmeña, que foi o filme que inspirou o Del Toro a virar diretor de cinema.

  2. Eu até hoje assisti poucos filmes europeus de terror, na adolescência era mesmo fissurado pelos filmes americanos, especialmente a série Sexta Feira 13, hehe. Mas dos poucos que vi deu pra perceber como eles são bem mais fortes do que os made in USA. Apesar que esse que você citou parece ser mais light, pois tem uma certa dose de humor.
    Já esse filme do Jesus pelo visto é comédia pura, daqueles que nem os envolvidos que o fizeram levam a sério, hehehe. Eu vi o trailer quando postaram lá no Valinor, é hilário mesmo 😆
    Até mais 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.