O bom, o maizomeno e o esquisito

happiness_of_katakuris1Nesse final de semana dei um tempo com nossos filmes de terror e voltamos aos gêneros mais, hum, normais. Fui consultar a lista de filmes de lançamento recente e me dei conta que bem, não tem muito lançamento recente que eu esteja a fim de ver, no final das contas. Tem Wolverine, mas falaram tão mal do filme que não sei se vou deixar para assistir quando estiver passando no 8 e meia no Cinema do SBT, hehe. E aí acabou que o final de semana contou com dois de 2009 e um de 2001 (o Premonição 3 não conta porque já era aquele momento de passar a régua no domingo, eu estava sem sono e bem, não foi planejado). Então vamos aos comentários:

Ele não está tão a fim de você: Fazia tempo que queria assistir. Sabe como é, tem um lado meu que acha Love Actually o filme mais batutinha para assistir em época de natal e desde que vi pela primeira vez sempre tento dar uma chance para as comédias românticas. Aqui é a velha história de um elenco cheio de grandes nomes, histórias que se interligam e tudo isso para falar “a verdade nua e crua “sobre os relacionamentos (daí o título). A personagem mais bacaninha é a do cínico Alex, que é o sujeito que acaba abrindo os olhos de uma romântica sobre como os homens lidam com situações do tipo “ligar no outro dia”. É batutinha, vale a pena ver se você estiver no clima para comédia assim.

Nick e Norah – Uma Noite de Amor e Música: com o Michael Cera fazendo aquele papel que ele sempre faz, a história tem aquele ‘quê’ de Sessão da Tarde: em uma noite atrás de um show de uma banda, dois jovens se conhecem e se apaixonam. No meio disso (voz de locutor de propaganda da Sessão da Tarde) viverão aventuras que até deus duvida. É engraçadinho, fofinho, mas acho que já passei da idade. Porque uns anos atrás a previsibilidade do final era algo que eu queria (e talvez por isso fosse previsível), hoje em dia só é bobo.

A Felicidade dos Katakuris: quantidade absurda de “WTF?!” por minuto, eu devo dizer. Talvez a média seria mais baixa se eu tivesse lido sobre o filme no IMDb antes, aí teria visto a tag “Musical” e não ficaria tão surpresa quando do nada as personagens começassem a cantar. Mas ainda assim teria um número grande de momentos “WTF?”. A história? Uma pacata família resolve abrir uma pousada nas montanhas. O primeiro cliente se suicida e eles resolvem esconder o corpo.  A partir daí, é evento bizarro atrás de evento bizarro. O filme é tão esquisito que quase um dia depois de assisti-lo ainda não sei se gostei ou se odiei O_o

3 comentários em “O bom, o maizomeno e o esquisito”

  1. E cadê o quote que você prometeu?

    Ele não está tão afim de você é muito bonitinho, a ultima vez que tinha ficado tão suspirante foi quando vi Simplesmente Amor (que eu ainda acho demais).

    1. É mermo, a citação ^^

      “Well, what am I supposed to do? I mean, things have changed. People don’t meet each other organically anymore. If I would like to make myself seem more attractive to the opposite sex, I don’t go and get a new haircut, I update my profile.”

      :g:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *