Depressão pós-livro

Eu ando bastante frustrada desde que terminei a leitura da saga Twilight. Eu estava definindo isso mais ou menos como “Ninguém entende quando eu digo que estou chateada por viver em um mundo no qual acordar e descobrir-se transformado em uma barata soa absurdo.”, mas tipos que uma garota lá do fórum Crepúsculo soube se expressar tão bem que eu preciso abrir uma exceção e usar aqui no Hellfire palavras que não minhas, mas de outra pessoa.

E antes que os meninos escapem achando que é um caso de apaixonite por personagens, por favor, continuem. O post dessa menina expressa muito bem quando nós, amantes da fantasia em geral, nos sentimos quando fechamos o livro e descobrimos que nesse mundo não há vampiros, hobbits ou zumbis. Se você já esteve por aí (e ei, não importa a idade, a Literatura faz dessas coisas com o mais maduro dos velhinhos), eu tenho certeza que de qualquer forma entenderá o que essa menina escreveu. E que atire a primeira pedra quem nunca pensou duas vezes sobre a fantasia.

Certo, para você não é novidade se pegar na situação de estar lendo algum livro, super lindo por sinal, de pijamas e uma luz fraca na cabeça. O problema é quando você se dá conta de que aquilo é ficção e comete o primeiro de muitos erros: compara com sua vida.

Você não tem um Edward, um Carlisle ou um Jacob em sua vida. A depressão pós-livro é muito comum na vida das pessoas, principalmente de garotas românticas. E aí acordar dessa fantasia e retomar sua vidinha de todo dia com aquelas pessoas que você não gosta muito no trabalho, escola e até mesmo sua família é quase deprimente. A vida num livro é muito mais empolgante, certo? Então, para se curar da depressão pós-livro, é só achar um meio de se distrair. Os amigos são sempre a melhor saída, mas se eles estão ocupados e não estão sempre ali, onde e quando deveriam estar, você deve achar outros meios. Faça algum exercício físico, ouça uma música ou até mesmo arrume aquele cômodo da casa que você está adiando faz dias (Qual é! Você estava até agora lendo, a sua casa não deve estar impecável!).

Não cometa o segundo erro: Auto Flagelação. Não se entupa de comida, estoure seus tímpanos com o volume absurdo da TV, e nem adianta tentar fazer alguma tarefa pendente como lição de casa, uma pesquisa ou aquele embrulho do presente pra sua tia que mora na outra cidade porque não vai dar certo; Sua cabeça estará dando tantas voltas e isso só servirá para ocupá-la com coisas absurdamente complicadas que exigem atenção, algo que você provavelmente não vai ter muito no momento.

E então, depois que você já cometeu os dois primeiros erros, você parte pro terceiro: caçar seu príncipe/princesa encantando. Não adianta, você não vai achar seu Edward ou sua Bella em uma noite. A forma como as histórias se desenvolvem nos mostra que tudo tem seu tempo, ou você acha que de repente vai pular na sua frente uma pessoa extremamente linda, inteligente e simpática com um anel de diamantes e uma casa na colina te pedindo em casamento? Sinto desapontá-los, caros leitores, mas isso não vai acontecer.

A vida não é cheia de aventuras, com vampiros lindos e caminhonetes velhas, mas não é assim tão ruim, se você analisar bem. Só deixando uma última dica: Ler é bom, entender melhor ainda. Então leia com calma, não se mate por causa de um livro (como naquele caso antigo do livro “Os Sofrimentos do Jovem Werther” que levou vários jovens ao suicídio).

Para ler na íntegra o post da Amanda Prado é só clicar aqui.

17 comentários em “Depressão pós-livro”

  1. tenha filhos…
    ops mas ai a opção ler fica bem mais difícil, ou melhor ter depressão pós livro quase impossível, quando você está lá com Liesel roubando uns livros durante a madrugada e um bebe resolve se jogar do berço e te trazer imediatamente pra realidade. :blah:

  2. Leia um outro livro, preferencialmente um que não lhe desperte o romantismo. E saia de casa para procurar seu príncepe. Mas adapte o sonho à realidade. Esqueça o bonitão da picape e procure virtudes no cara simpático de Uno Mille. Entre as coisas qu desisti de entender temos: Por que as mulheres sonham com príncepes mas ignoram os caras legais e românticos para colecionar canalhas da pior espécie? Desistindo de achar resposta dou razão aos rapazes que decidiram entrar na conta dos canalhas.

  3. Eu acho que vcs não sacaram o principal do post da menina. Até pq de boa, meu príncipe nerd eu já arrumei :grinlove: Não é uma questão de idealização da pessoa ideal – é só a questão da fantasia mesmo. Nesse caso acho que a resposta mais feliz ao post foi a do Sky, sugerindo que eu jogasse rpg.

  4. tenho q admitir q foi exatamente essa a sensação qu eu tive após ler o livro …a de frustração!sabe que nada muda …e que coisas como essa são impossiveis de acontecer traz uma pontada de ciumes….o amor imaculado que hj em dia não existe …é algo que deprime …
    o q fazer é seguir em frente ….e esperar pelos filmes da saga ! :joy: :surprised: :nana:

  5. ops…mandei sem terminar…rss
    continuando…

    logo que termina um livro. A diferença está de que forma vc vai adaptar isso na sua vida…filhos, rpg, pricipe…só num vale voltar pro marasmo de sempre…[pelo menos até o próximo livro! :nana: ]

  6. É realmente estranho não ter a dose diaria de edward e bella, e se tocar na real mesmo que porra, nenhum vampiro gostosão vai aparece, e declamar frases de Romeu e Julieta no seu ouvido, e te transforma em uma criatura perfeita e imortal e ainda te dar uma ferrari de presente. Em fim é suportavel cair na real, mas não duvido nada que eu releia a serie toda, só pra ter mais um pouco do prazer de me prender a toda essa fantasia mais uma vez :D…

  7. Eu também me senti bem estranha quando terminei de ler. Mais ou menos uma semana de reflexão.

    O pior de tudo: eu, que sempre fui bem resolvida com a duração da vida, fiquei apavorada só de pensar em morrer. Sei lá, toda vez eu pensava em Edward e Bella felizes para sempre e tal e me dava uma angústia. Tirando o fato que além de imortal ela tem o vampiro mais nhóóóum ever.
    Absurdo, eu sei.

    Mas enfim, isso tudo à parte, agora eu consigo gostar de Crepúsculo de forma saudável. Ainda bem!

  8. Ok que eu queria ser Edward Cullen enquanto lia Crepúsculo. E passei toda a leitura da Trilogia do Anel desejando ser Gandalf. E quis roubar a vida de Tuor pra mim n’Os Contos Inacabados. E desejei ser Fëanor n’O Silmarillion. E sonhava em ser Michael Corleone enquanto devorava O Poderoso Chefão. E me imaginei Sirius Black também, voando em um hipogrifo noite adentro. E por aí vai… nunca contente, sempre tentando ousar um pouco mais no que diz respeito à minha própria vida, mas nunca conseguindo também. Não se pode ter tudo, e acho que ser um desses personagens, pra mim, significaria ter alcançadio a plenitude =P

  9. Engraçado que eu fiquei meio assim quando li Orgulho e Preconceito… Twilight é mais fantasioso e acho que isso nos deixa mais Down… Enfim, eu isso esse estranhismo pra produzir algo, escrever bobagens numa folha de papel ou num blog. Acho que Crepúsculo, só entende quem leu. Não tiro o mérito da vida real… talvez a gente só não saiba ver as coisas legais que há nela porque não tem ninguém pra contar como vai ser, é a gente que escreve essa história.
    Adorei o post.
    Beijos

  10. eu ainda nao terminei de ler porque eu tenho medo de acabar de ler, porque é horrivel quando eu vejo que nunca vai ser real que nao é verdade eu choro lendo pelas coisas que acontecem eu choro pensando que nunca vai ser real e nao, eu nao estou apaixonada pelo robert pattinson como muitos podem pensar, eu estou apaixonada por esta saga, e por uma historia tao fascinante que esta me fazendo chorar agora mesmo so de lembrar, é horrivel nao conseguir ler uma materia sem sentir um dor no coraçao que eu nao sei explicar porque lembrar disso acaba muito comigo, sim eu estou viciada e esse vicio me faz mal…

  11. Nossa, eu me identifiquei muito com o post da garota 🙁
    eu fiquei muito tempo mal após a leitura do ultimo livro, um vazio imenso e principalmente, quando eu parava pra pensar que isso nunca existiria. pireeeeeeeeeei ! 😥

    1. Bah, dá vontade de ser vampiro no mínimo…
      A estória é linda, realmente dá as vezes aquela sensação de não estar ali.
      Bate um descontentamento em fechar o livro ou mesmo olhar para a rua e ver as pessoas caminhando e seguindo suas vidas ^^
      Twlight faz agente termedo de chegar no fim (verdade)

      É normal bater a depressão quando percebemos que uma hora as páginas vão acabar ¬¬
      Ou quando acabam!!

    2. Impressionatne, para mim – que me faço de pessoa forte; ogra as vezes, como minhas amigas me chamam – ficar com certa “depressão pós-leitura”
      e eu ainda pensei ter criado esse nme para a “síndrome”. ASDIJASD
      Não me acho das mais românticas e até me encanto com dificulkdade, acho que por isso gosto tanto de romance. Gostaria de ser, as vezes,
      como essas garotas que se apaixonam com facilidade e vivem uma aventura de amor; gostaria de me apaixonar intensamente; gostaria de ser um personagem…
      Não só por crepúsculo, melhor ainda, li A Hospedeira e chorei quando percebi que tinha acabado o livro. (hahaha) Comi cinco barras de chocolate em um dia.
      Gostaria meeesmo de ser um persnagem desses. Mas, acordar para a realidade é mais difícil que isso.
      Enfim, como estava dizendo, não sou uma garota romântica, nem chego perto disso mas as vezes gostaria de ser. E acho que “invejo” um pouco esses personagens
      que lutam por um amor com emoção acima da razão. Mas, também penso que mesmo assim prefiro agir com razão à emoção. Confusão demais. aliás, sou uma garota, não acho que isso sejá tão anormal…
      IJDASOIJDAS :p

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *