M is for Magic (Neil Gaiman)

Então que obviamente eu aproveitei a oportunidade de estar “lá fora” para comprar uns livrinhos. Um deles foi o M is for Magic do Neil Gaiman. Trata-se de uma coletânea de contos já anteriormente publicados (menos um, que na verdade é meio que um trecho do romance que ele lançará ainda esse ano, The Graveyard Book). É um livro voltado ao público infanto-juvenil, até porque a proposta é parecida com a das coletâneas do Bradbury como “S is for Space“, levar a Literatura para o público mais jovem, mas ao contrário de Coraline, o livro serve para leitores de todas as idades, sim.

O tom predominante é, como o nome diz, a magia. Mas aqui as coisas não aparecem como um conto de fadas serelepe e bonitinho: há muita acidez, nostalgia e melancolia. Há suicídio e sexo – embora de forma velada ou mesmo metafórica. E se seguindo a escola do Mestre Poe o Gaiman peca por escrever contos até meio longos, ainda assim ele parece ter aprendido bem a lição do efeito final: algumas conclusões são daquelas que deixam você perplexo e absorvendo o que foi lido.

Troll Bridge é bastante sombrio, How To Sell The Ponti Bridge é o mais leve de todos da coletânea, que começa com The Case Of The Four And Twenty Blackbirds, uma história bastante divertida narrada em tom de histórias de detetive, mas com personagens como Humpty Dumpty (o que agradará especialmente o pessoal que conhece as personagens das riminhas infantis inglesas). Mas a minha favorita é October in the Chair – tem um quê de Sandman naquela personificação dos meses, e a história contada por Outubro é arrepiante.

Não sei se há previsão de publicação aqui no Brasil, mas alguns dos contos são de livros como Fumaça e Espelhos e Coisas Frágeis, cujas traduções já foram lançadas aqui. Mas fica a dica aí para quem costuma importar livros e gosta do estilo do Neil Gaiman (ou simplesmente de fantasia). A leitura é gostosa, flui bem e deixa aquele gostinho bom de quero mais.

Em tempo, uma curiosidade: a capa é muito legal, e – graças às maravilhas dos tempos modernos, incluindo os blogs – aqui dá para acompanhar o processo de criação da imagem da capa (que por acaso, é a que ilustra esse post aqui).

4 comentários em “M is for Magic (Neil Gaiman)”

  1. Sorte a de quem pode viajar pra conseguir essas delícias… aqui em Manaus, pra encontrar neil gailman vc tem de fazer um pacto com o tinhoso 👿 rsrsrs e ainda assim demora, axo q aqui é distante ateh mesmo do hell! :disgusting:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *