Colin

Já tem algum tempo que quero assistir Colin, filme inglês de zumbis, mas ficava adiando porque queria… cofcof… hum… gasp… ééé… porque eu queria ver com legenda. O que é meio idiota, se você for pensar que é um filme contado sob o ponto de vista do zumbi que dá título à história. Se o zumbi é o protagonista, é meio certeza que não veremos muuuuuuitos diálogos, ou pelo menos nenhum tão denso que um aluno de inglês basicão já não conseguisse captar. Mas ok, a preguiça é meu pecado preferido, então tá, vamos ao Colin.

É importante saber de início que a produção é famosa por ter custado algo em torno de 40 libras. Por 40 libras, você não vai esperar um Avatar, certo? E como toda produção-famosa-por-gastar-pouco-dinheiro, Colin conta com aquela irritante câmera no estilo documentário que irrita inicialmente, mas depois de algumas cenas se mostra razoável para o desenvolvimento da tensão (como por exemplo o zumbi na cozinha do protagonista, que você acaba vendo por um reflexo na torneira).

Colin começa “do meio”, com o rapaz lavando as mãos e um martelo cheios de sangue. Ele logo percebe que foi mordido e que bem, ele está ferrado. O que acho bacana na escolha do zumbi como protagonista é que em filmes desse tipo nós normalmente só vemos os sujeitos babando e grunhindo, sem saber exatamente de onde vieram. Aqui você tem todo o caminho de Colin desde a transformação até o momento que finalmente consegue sair de casa e torna-se mais um daqueles mortos-vivos que vemos zanzando pelas ruas.

Algo que também chamou minha atenção é o fato de que o diretor não deixa de fora a fome dos monstros, e cenas envolvendo tripas arrancadas estão lá, como sempre vemos em filmes do gênero. Mas por outro lado, o pior comportamento da história toda não é de um zumbi, mas de um humano, que aproveita-se de uma situação para torturar uma garota em seu porão. Não, eu não estou louca e não acho que “tudo bem comer tripas de gente”, mas se for pensar que o zumbi seria em teoria irracional, é tipo um leão que ataca outros bichos para se alimentar. E o que explica a ação desse velho do porão?

Piras de lado, a verdade é que eu gostei de Colin. O momento com a mãe tapando o vidro da porta com jornais que tinham notícias sobre os zumbis ficou muito legal. E a conclusão também, porque amarra as pontas da história e volta para o que tínhamos visto inicialmente. E se for pensar bem, comparando esse formato “documentário” (embora eu não faça ideia de quem seja o cameraman de Colin, hehe),  como filme de zumbi ainda saiu melhor do que Diário dos Mortos do Romero, acredite. E mais barato, vale lembrar.

6 comentários em “Colin”

    1. Assisti o filme e gostei! Legenda não é muito necessária porque o nível dos diálogos é fácil, mas se precisar mesmo tem lá no legendas.tv. Fiquei imaginando como seria o fim do filme e não me decepcionei, realmente para um custo tão baixo o filme está muito bom!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.