Do fundo do baú: balas

Ahhh, a infância! Aquela época maravilhosa em que “bala” só significava um inocente docinho, sem qualquer outra conotação. Aquela coisa, ao contrário de muitos doces que costumavam custar muito caro, com qualquer troquinho você conseguia comprar um punhado de balas. E isso é a salvação das tardes de uma criança e o adolescente sem dinheiro e com fome, até porque as banquinhas sempre fizeram promoções do tipo “Pague 1 Leve 3” ou algo que o valha.

Foi pensando nesses doces momentos (há!) que resolvi fazer um top5 nostálgico, com algumas das minhas balinhas favoritas. Ficaram de fora a bala de coco das festinhas de aniversário (que só serviam para pegar o embrulho e fazer pompom de Paquita) e a bala de banana (de Antonina) que um dia ainda vou entender seu fascinante mistério: eu não gosto, mas sempre aceito quando me oferecem. Só para avisar, se você clicar no link com o nome das balas abrirá uma ilustração dessas (sabe como é, para refrescar a memória).

5. Balas Kleps: Eu podia jurar que as ilustrações tinham a ver com os signos do zodíaco, mas eu sempre fui uma criança muito imaginativa (han, han) então é provável que fossem só desenhos aleatórios mesmo. Eu obviamente não sabia o nome da bala, chamava de “bala da fitinha” ou algo que o valha, mas nada como a internet para nos ensinar esses pequenos detalhes, não é mesmo?

4. Bala Xaxá: Aquela do gatinho. Tinha de abacaxi, morango, maçã verde e eu jurava que a marrom era de coco mas hum, acho que era de banana. Eu não tinha o paladar muito apurado, como vocês podem perceber. Era bem dura, e a medida que você ia mastigando começava a amolecer e grudava nos dentes.

3. Bala 7 Belo: Um clássico! E não é porque você come até hoje em dia que ela não mereça um lugar na lista, não é? Durante os anos lembro que chegaram a sair muitos sabores diferentes, como a de maçã verde e frutas silvestres. Mas nenhuma é tão gostosa como a boa e velha 7 belo de framboesa.

(—-editado em 02/04/2018—-)

1. Balas Soft: Todo mundo quase morreu se afogando com uma bala soft, eu sei. Mas o fato é que eram muito mais gostosas quando eram redondinhas. Tinha de vários sabores, mas (como já comentei aqui no Hellfire anos atrás), minhas favoritas eram de goiaba e de maçã verde (acho que as duas começaram a ser vendidas já nos anos 90).

Cabe ainda menção honrosa à Freegells (quando ainda não tinha essas frescuras de vir com chocolate dentro), aqueles caramelos de leite (que tinha também de chocolate, nham nham), bala de amendoim, kids de leite, supra-sumo de laranja e a boa e velha pastilha valda comprada na farmácia perto de casa.

Um comentário em “Do fundo do baú: balas”

  1. Nossa, eu me lembro de todas elas… A bala Kleps era conhecida exatamente por vir em tirinhas, feito filme antigo de projetor… Acho que entendo por que as figuras lhe lembravam o Zodíaco, uma das figuras era um carneiro. Tinha também uma bonequinha e outro bicho parecido com um hipopótamo (eu acho…); aquelas balas da Van Melle vinham numa caixinha sob o nome “Frutas” e houve mesmo aquela encrenca falando sobre drogas… E o Supra-Sumo que antes era só de limão (com hortelã e vitamina C de quebra, rezava a caixinha)… A bala Soft da qual nossas mães tinham um pavor daqueles, porque de tão lisinha escorregava goela abaixo e assim a gente engolia inteira… Mas era uma delícia, com gostinho mesmo de frutas… Os caramelos de leite da Nestlé foram para o espaço, que pena… também tinha de chocolate, maravilha…
    O 7-Belo e a bala do gatinho são dois clássicos, você também se lembra do ‘Delicado’? Era uma bala parecida com um feijãozinho açucarado e tinha de tudo que era cor. Era da Kibon, no tempo em que não vendia apenas sorvete… Ela também tinha sua própria ‘Jujuba’e até chocolates.
    Os drops ‘Dulcora’ (principalmente os de hortelã) reinaram por um bom tempo até o ‘Hall’s’ aparecer – lá pelos 70. O sabor do Hall’s era bem forte porque era realmente mentolado (e tinha MESMO eucalipto além disso)… Aí disseram que fazia mal ao coração; a Adam’s mudou a fórmula e depois lançou outros sabores.
    Muito legal você lembrar das delícias que adoçaram a boca de muita gente! Parabéns pelo blog esperto e um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *