Como ser legal (Nick Hornby)

Acho que entrei em uma fase ruim no que diz respeito aos livros. Primeiro foi o Pride and Prejudice and Zombies do Seth Grahame-Smith. A decepção foi tamanha que não deu nem vontade de vir escrever sobre ele aqui no Hellfire, e por pelo menos umas quatro vezes pensei em largar sem terminar de ler. Pois é, se você quer dar umas boas risadas com algo que o Grahame-Smith escreveu, acho que o negócio é ficar com o How to Survive a Horror Movie, mesmo.

Eis que ontem (finalmente) acabo o How to be Good do Nick Hornby (lançado aqui no Brasil “Como ser Legal”). Quando incluo o finalmente é porque foi uma leitura arrastada, que durou mais de uma semana e sim, novamente aquela vontade incontrolável de largar o livro e ler outra coisa. Tá loco, nem parece o Nick Hornby.

A história segue assim: uma médica decide se divorciar do marido. Acontece que o sujeito encontra uma espécie de guru chamado DJ Goodnews que além de curar uma dor nas costas crônicas, também faz do (quase ex-)marido o cara mais legal do mundo. E no final das contas segue-se toda aquela discussão sobre o que é ser bom e o que é ser mau, considerando principalmente o fato de que a protagonista acreditou por toda a vida que era boa, uma vez que era médica e salvava vidas. Mas depois da “transformação” do marido, passa a questionar isso.

Mas a protagonista é MUITO amarga. MUITO. Os personagens do Hornby são ácidos, mas não amargos. Ao escolher Katie como a narradora, Hornby errou a mão porque perdeu a chance de ter mais um daqueles personagens que são totais perdedores, mas com quem você não só se identifica, mas de quem você gosta. É impossível gostar de uma personagem crica como a Katie, que reclama de tudo o que tem ao seu redor. Ela é MUITO chata.

E como a história é contada por ela, bem, a história segue o senso de humor da protagonista. Aí já viu, né? Não que algumas tiradas típicas do Hornby não estejam lá no meio, e a parte do Goodnews rende até uns bons momentos. Mas Katie pirando sobre a própria vida é simplesmente um saco, aí no final das contas o livro ficou ali no “regular” mesmo. No final das contas, vale muito mais a pena ler o Frenesi Polissilábico, que embora não seja romance, pelo menos se parece mais com outros livros ótimos do Hornby como Uma Longa Queda, Febre de Bola, Alta Fidelidade e Um Grande Garoto.

6 comentários em “Como ser legal (Nick Hornby)”

  1. Acabo de conhecer o blog e já o favoritei!
    Realmente, o Nick aproveitou que P&P caiu em dominio público para deitar e rolar… mas não deu certo. o-o Outro romance da Jane Austen que indico é Masterfield Park, muito interessante, porém, P&P é meu adorado. Li q vc gosta de gatos, eu os amo! *o* Eu ouvi falar que a cantora Duffy não gosta, sabe sobre algo? Visitarei aqui sempre! :joy:

  2. Po Joy, q decepção. Eu to aqui catando livro pra ler, to inventando motivo pra comprar um, vim correndo ler esse post achando que era um review bom de mais um livro do Nick Hornby e agora ficou a decepção. Eu ia até te pedir outras sugestões dele, mas já li tudo q vc sugeriu. :/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.