28 anos sem John Lennon

Por uma diferença de um mês e míseros dez dias eu e John não vivemos na mesma época. Eu acho que é o tipo de cálculo que só um fã faria. Não sei explicar ao certo o que faz com que passemos a admirar um artista ao ponto de se importar com esse tipo de coisa (“puxa, novas músicas não serão lançadas”? talvez), mas ei, não tem gente que tenta se matar só porque o time caiu para a segunda divisão? Poisé, somos todos uns doidos.

Mas o fato é: você pode odiar Beatles. Você pode achar superestimado, “música de mocinha”, repetitivo, chato. Mas faça uma consulta ligeira no All Music para ver quantas bandas foram influenciadas pelos caras. No mínimo, há de se admitir que se você não curte, muito dos sujeitos que você escuta curtiam. Por isso hoje, 28 anos depois, não tem como não ficar chateado ao pensar em quantas canções assinadas por esse sujeito poderiam ter sido lançadas. No mais, a Fernanda do Eudiriaque… (( que fechou as portas =(((((((((((( )) escreveu o texto mais bacana sobre esse dia 8/12 há três anos.