Diários do Vampiro: O Despertar

Então que eu resolvi comprar uma daquelas edições que tem dois livros em um para saber qual é dos livros Diários do Vampiro, que deram origem é série que passa na Warner aqui no Brasil. Sobre a adaptação, vocês sabem que não me agradou muito, embora eu esteja acompanhando. Aquela coisa: “vilão” sem uma motivação forte, personagens meio sem sal e ainda matam as legais. Mas como insistiram bastante que os livros eram diferentes (e melhores) resolvi dar uma chance.

Ontem à noite terminei o primeiro livro, O Despertar. E a verdade é que realmente é beeeem diferente da série, embora eu não saiba se é exatamente melhor. Tanto que não estou muito animada para continuar o segundo livro, vou dar um tempo para as leituras que ficaram pendentes no final do ano (há!).

A principal diferença já começa na personagem principal, Elena. Na série ela é morena, legal, super preocupada com as pessoas a seu redor, madura e blablabla. No livro, é a típica patricinha loira, a mais popular da escola, egoísta e meio mimadinha. O que no final das contas serve como uma boa justificativa pela “apaixonite” dela por Stefan é não é algo automático, embora ele seja o lindão da escola e tudo o mais. Mas é um daqueles típicos casos de querer o que não se pode ter, já que o rapaz dá umas esnobadas nela.

Outra diferença é Damon, que quase nem aparece. O conflito entre ele e o irmão que já acontece no primeiro episódio, só aparece no penúltimo capítulo. O legal é que ele vai chegando aos poucos, fazendo Stefan acreditar que ele é que está matando as pessoas da cidade, já que até aquele ponto ele acredita ser o único vampiro por ali.

Algumas personagens também são um pouco diferentes: Bonnie é descendente de druidas e por enquanto o único “poder” que ela aparenta ter é de premonição. Tem uma outra amiga que não aparece na série, Meredith. Caroline é beeeeem mais bitch, a competição com a Elena é bem mais declarada. E a protagonista não tem um irmão envolvido com drogas, mas uma irmãzinha pequena. Detalhes, no final das contas, que não fazem taaaanta diferença se for pensar bem.

Mas no geral, como comentei no começo, o livro não me empolgou muito. Continuo achando que as motivações das personagens são meio bobas, do tipo “De tantas cidades pequenas do mundo porque o sujeito resolveu ir para aquela? Qual a explicação?” ou ainda “Por que esse irmão chato fica no pé dele?” etc. Acho que falta um antagonista de verdade para despertar de fato minha curiosidade. Por isso, no momento, o segundo livro (O Confronto) ficará na estante, enquanto coloco minha leitura do século XIX em dia, hehe.

2 comentários em “Diários do Vampiro: O Despertar”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *