Salve a professorinha!

Pois então… agora que teoricamente já conheci minhas quatro turmas (não sei se comentei, mas a Eva me passou mais duas), posso fazer um resumo de como foi minha primeira experiência como professora….

10/11/2003 – TURMA DAS 18:00hrs

Ok, chego no lugar e me jogam os alunos novos que por acaso não tinham apostila nenhuma. Eu que baseei o plano de aula quase todo na apostila (incluindo leitura, exercícios, etc.) tive que me virar. Por sorte, pensei em levar um coringa: um livro de Inglês básico, com alguns exercícios.

A turma não tinha nada muito de errado, até que acompanharam bem e com vontade. Inclusive depois da aula vieram conversar comigo, tudo certinho. A única coisa chata é que, no meio da aula, um cara levantou e disse LICENÇA. E se mandou. Fiquei mó chateada, mas o azar é dele mesmo, eu continuo lá e ganhando meu dimdim, ele perdeu a aula sobre o verbo To Be ¬¬

10/11/2003 – TURMA DAS 19:30hrs

Por sorte, nessa turma todos tinham a apostila e eu pude dar a aula como tinha planejado. Seguiu sem maiores problemas, a turma se envolveu de verdade, participou dos diálogos que foram propostos e tudo mais.

A melhor parte foi no final, quando vieram me procurar e falaram que eu dou aula melhor do que as outras professoras ^^ Falaram que eu sou paciente, tiro todas as dúvidas e que gostaram da minha pronúncia. Lá lá lá…

11/11/2003 – TURMA DAS 16:30hrs.

PUTA QUE PARIU!!!!! Já não bastava o calor dos infernos que fazia, eu em uma sala em que a ventilação quase não existia, tenho que substituir uma professora ao invés de formar minha própria turma. Aí, para piorar: mandam para mim sete adolescentes. Ou pior, aborrescentes. Siiiiim… os “Você trampa pra mim, eu faço aqui o que eu quero”.

Resumo da ópera? Tive que dar a primeira bronca. E tipo, acho que foi a senhora bronca, porque uma das meninas chegou a ficar vermelha. Algo me diz que sete alunos vão voltar para o outro professor…

11/11/2003 – TURMA DAS 18:00hrs.

De novo, a segunda turma respondeu melhor. Acho que já tenho preferência por dar aula para pessoas mais velhas. Elas mostram maior interesse, acompanham melhor a aula. Se bem que formar essa turma foi difícil…

O que houve é que eu ia dividir a turma com a Ledinha, que estava com 40 alunos. O que não me admira, porque além de ser um amor de pessoa, é uma excelente professora. Aí, lógico, ninguém queria passar para a minha turma. E a Ledinha, que é tão querida que não sabe dizer não, foi pedir socorro para mim (que estava começando a aula com 4 alunos O.o).

Cheguei lá e disse “Olha, gente. Só abrimos outra turma porque a Leda não tem condições de dar aula para 40 alunos.” Todos continuaram quietos. “Fica difícil acompanhar pronúncia ou o próprio andamento da aula com tanta gente.” Continua o silêncio. “Por isso seria interessante que as pessoas que estivessem sentindo mais dificuldade fossem pra minha turma.” Silêncio. “Lá a gente vai fazer uma revisão, dá para pegar o que está atrasado e tudo mais.” Cri cri cri. “A aula não vai começar se pelo menos 10 de vocês não forem para a minha sala.”

E eu to com 24 alunos lá :mrpurple:

E foi isso. Estou chegando exausta em casa, quero mais que o mundo acabe em barranco. Mas estou muito feliz (ainda). Como disse minha mãe, fui salva pelo gongo: agora pelo menos posso dizer que estou trampando.

E é muito legal porque esse pessoal me trata como Professora Ana Paula, tem respeito por mim (com exceção dos aborrescentes ¬¬’). Quando eu estava indo embora hoje, com pasta de exercícios e dicionários embaixo do braço, o moço da secretaria gritou “E aí, professora, foi tudo bem?”. Puxa, sensação difícil de explicar, mas é muito boa.

A verdade é que pela primeira vez estou me sentindo… hum… adulta de verdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *