Sobre Capitu

Segundo Fábio Lucas, na introdução do livro Dom Casmurro lançado pela Editora Ática, “sob a forma de um memorial de acusação, temos que considerar o relatório como força re-construtiva do protagonista e fixadora da imagem dos demais figurantes”.

É ao narrar sua história que Bentinho, ao invés de justificar sua vida através de acusações contra Capitu, acaba por gerar a dúvida sobre se ela seria de fato culpada. Mais do que isso, ao evidenciar a tendência que Capitu tinha de dissimular, acaba criando em torno dela uma aura mística, um mistério que só é menor ao da sua traição.

Indo ainda além, como a história é contada sob a perspectiva do apaixonado (porém ciumento) Bentinho, não é de se admirar que, ao mesmo tempo em que ele a acusa de dissimulação, também a coloca ao patamar de heroína. Esses podem ser considerados alguns dos elementos que fizeram desta personagem secundária, Capitu, uma das mais importantes da literatura brasileira.

Na realidade, Capitu passa de uma personagem secundária para uma personagem principal, uma vez que todo o drama narrado por Bentinho gira em torno dela. E, para Bentinho, para “atar as duas pontas da vida” é explicar como se tornara um “Dom Casmurro”, o que torna fundamental incluir Capitu em sua história. Mas Capitu é a acusada, e por isso, é uma tendência de Bentinho contar como desde o momento que conhecera Capitu, ainda na infância, esta sempre se mostrara ter tendência à falsidade.

Como quer se justificar, Bentinho dá ênfase a todas as atitudes que Capitu toma, para delinear sua personalidade para os leitores, tornando o temperamento dela como condicionante fundamental da obra. Como mero observador, Bentinho descreve as ações e o físico de Capitu, e não o que ela sente de fato.

É assim que surgem os famosos olhos de ressaca, que em si carregam toda a essência da traição, inclusive quando alega “… cheiram ao mar e à maré que deram morte ao meu amigo e comborço Escobar. Cheiram também aos olhos de ressaca de Capitu”.(D.C., CAP.CXXXII).

Concluindo, é justamente a paixão com quem descreve Capitu, aqui também se levando em conta todo os ciúmes que causaram as acusações contra a mesma, é o que fez da personagem a figura principal de toda a trama. Ela não é perfeita como uma heroína romântica, mas foi quem conduziu a vida de Bentinho por um longo período de sua vida, que fez dele, direta ou indiretamente, se tornar o “Dom Casmurro”.

É ela, a figura misteriosa e dissimulada, que poderia revelar a verdade. E justamente por residir nela todo o mistério da obra, que Bentinho sem intenção, cede a ela o posto de personagem principal da história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.