True Blood S04E07: Cold Grey Light of Dawn

Aiii, que episódio chato. Tão chato que não estou nem com muita vontade de falar sobre ele. Até porque falar sobre Cold Grey Light of Dawn (S04E07) é meio que o mesmo que comentar o anterior: as falhas se repetiram, e em quantidade maior. Teve um momento que até pensei “Por que eu assisto True Blood mesmo?”, porque sério, tem algumas vezes que eles erram a mão e parece até que você acabou só jogando seu tempo fora. Mas vamos lá, em tópicos para ser mais organizada. Começando com a parte chata.

Sam e o irmão: Coisa chata da p*. Já vi esse surtinho dele de “Suma daqui” umas trocentas vezes. Seria legal se agora fosse definitivo. Ou se o Sam fizesse o favor de tirar essa chatice de irmão dele da série, podendo virar um skinwalker também. A única parte que valeu a pena foi a do Sam se dando conta que o Tommy se passou por ele, e a cara da Luna percebendo isso ao mesmo tempo. Fora isso, boooooring.

Sookie e Eric: Eu sou Team Eric, nunca escondi. Mas deu até uma certa vergonha alheia aquelas cenas dos dois transando do meio da floresta até chegar na sala da Sookie e etc. e tal. Mais vergonha ainda de ver o vikingzão meloso daquele jeito, só repetindo a ladainha de “eu não quero lembrar”. O Eric sem memória do livro consegue ser um balanço perfeito entre o vikingzão e o cute. Na tv parece só um bebezão indefeso.

Bill e Jessica: Tem toda a relação de maker e tudo o mais, mas sou só eu que estou achando meio forçado esse jeito que o Bill trata a Jessica? Tá, ela não é mais a vampira aborrescente histérica do começo, amadureceu e tudo o mais. Mas esse jeitão dele com a moça parece que veio meio do nada, faltou talvez desenvolver melhor, não sei. E a conversa sobre o Hoyt enquanto acorrentada foi completamente fora de propósito.

Tara: Conseguiram deixar a Tara ainda pior, juntando a moça com a Marnie. Ok, precisava ter todo aquele pano de fundo de que a Marnie estava aumentando o poder juntando outros odiadores de vampiros, mas aiiii, que preguiça daquele olhar de desejo de vingança da Tara. Tara, minha filha, você teve um relacionamento maluco com uma das melhores personagens da série até agora. Pare de se lamentar.

Agora para a parte boa que eles deveriam ter explorado melhor durante o episódio e que teria feito ele beeeeem menos chato:

Pam: Botando o horror na Tara, depois aquele tratamento bizarro para a pele, enfim, era a Pam mesmo – e não o que estavam fazendo dela nos episódios anteriores, que nada tinha a ver com a personagem. Aliás, eu não sei o nome daquela personagem que é garçonete no Fangtasia desde a primeira temporada, só sei que me mato de rir sempre que ela aparece.

Lafayette: Ok, eu estava reclamando dele e tudo o mais. Poréééém, o combo Lafayette + bebê da Arlene funcionou. Aquele fantasma foi de arrepiar, e dá para fazer algo muito legal com aquilo. Inclusive porque até aquele momento ali eu tinha certeza que tinha algo a ver com o Rene, mas pelo visto é uma fantasma que acha que o bebê é dela. Pode ser bem interessante mesmo.

Jason: Estou tentando não ser ranzinza e ver o lado bom da coisa. Eu não gostava muito daquele núcleo dos werepanthers, então é até legal que o Jason não tenha se transformado. Ainda não estou muito feliz pela paixonite dele pela Jessica, mas vá lá, olha a menina e veja se não é até verossímil se apaixonar por ela, hehe. E aquela parte da conversa com o Hoyt foi ótima. Então se for para seguir por esse caminho, que seja como estão lidando.

No mais, acho que foi o primeiro final que não teve Eric e Sookie na tela, heim. No fundo, até que é bom. Se fossem os dois transando de novo já ia achar que peguei uma paródia pornô de True Blood ou algo que o valha.

5 comentários em “True Blood S04E07: Cold Grey Light of Dawn”

  1. Passei quase tudo pra frente e devo ter pulado essa parte do fantasma/bebê da Arlene….

    e nenhum comentário (ruim, claro!) sobre o Alcide e a Debbie? horror total

  2. Eu gostei do episódio. Consegui ignorar a chatice do irmão do Sam (foi pouquinho tempo), do núcleo dos werewolfs e dos brujos (que vergonha alheia foi o Jesus gritando “ELE É UM MÉDIUM!”), e rir do bom trabalho do Alexander Skarsgård em transformar o Eric num caipira bobão pq o episódio teve coisas muito boas mesmo. O Hoyt falando “werewolfpanther”, a Pam sendo a Pam (e a volta da Dra Ludwig!), o Lafayette vendo o fantasma do Mikey… e foi coincidência que todos os personagens chatinhos quase morreram? Teve o Sam, a Tara, o Bill… achei muito engraçado. Continuo adorando a história das bruxas, encaixou bem a explicação da vingança. A atriz que interpreta a Marnie é sensacional, sou fã dela desde Dália Negra.
    Enfim, pra mim melhorou muito desde o último episódio. Ah, a garçonete é a Ginger, e sempre que ela aparece, nem que seja só pra berrar é muito engraçado 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.