True Blood S04E03: If You Love Me, Why Am I Dyin’?

OOOook. Chega uma hora que as coisas precisam dar uma amansada mesmo. O terceiro episódio da quarta temporada (If You Love Me, Why Am I Dyin’?) foi um pouco mais arrastado do que os dois anteriores, mas não acho que tenha sido ruim. O problema é que teve que trazer novos elementos para o enredo (Debbie evangélica, wtf?) e reforçar outros (Crystal e Jason, Andy locão, etc.), o que pode ser meio cansativo. Mas só por Eric desmemoriado já valeu a pena, hehehe.

Eu já tinha comentado no post sobre o episódio anterior, de como o Alexander Skarsgård tinha conseguido marcar tão bem a diferença entre um e outro Eric. Mas agora ao longo deste quarto episódio isso ficou ainda mais evidente. A cada “Sorry” da personagem eu mandava um “NHOOOOOOOUM!”. Pense, até pouco tempo ele era o cara mais badass da série, agora ele é o mais fofucho. Teve uma hora que Fabio virou pra mim e disse “Dá para fazer uma cara menos satisfeita cada vez que o Eric aparece?”

Enfim, nunca escondi que ele é minha personagem favorita dos livros, e que torcia para esse momento da virada em que ele finalmente ganharia mais espaço. E acho que isso se confirma pelo fato de que bem, de três episódios, os três acabaram mostrando ele. E aí o bom é que mais espaço para ele significa mais espaço para a minha segunda personagem favorita, a Pam – que aliás, é dito e feito, de novo nas vezes em que apareceu foi para ser dos melhores momentos do episódio. Aí com isso Bill vai começando a sumir (alguém tá vendo alguma graça nele como rei pegador?), o que não deixa de ser uma boa troca, já que a personagem nunca me convenceu muito, não, hehe.

E então que tivemos mais um pouco de fadas. Aqui entra naquele ponto que não dá para saber até que ponto eles vão se distanciar dos livros ou não, porque bem, considerando o desfecho eu diria que já começaram as diferenças (SPOILER selecione o texto para ler Claudine morre mais para frente, não tão já). Acho inclusive que por Sookie já ter visto que há confrontos na fadolândia (hehe) é bem provável que antecipem SPOILER selecione o texto para ler a guerra das fadas, que acontece mais para frente. Já devo ter dito isso antes, mas não gosto desse papo de fadas e por mim isso nem apareceria na série, mas fazer o que, né.

Dois comentários aleatórios: o Arthur tem uma roupa igualzinha a que o bebê da Arlene tá usando quando a Jessica dá a boneca para ele, há. E aquele site que aparece quando Bill vai condenar o vampiro, o tal do Vamps Kill, foi lançado mesmo, hahaha. Para quem quiser dar uma olhada, é só clicar aqui.

Resumindo, como tinha dito antes, foi morno mais gostei. Eu acho que desta temporada a única coisa que realmente tem me irritado e eu tiraria sem piscar os olhos é o irmão do Sam (que já me irritava na temporada anterior). Fora isso, mesmo as partes mais chatinhas ainda assim tem sua graça. Vide o caso do Jason, que é tão wtf que não tem como não pensar que ele é simplesmente a personagem mais azarada da série. Pensem em tudo que já aconteceu com ele desde a primeira temporada e vejam se não concordam, hahaha.

2 comentários em “True Blood S04E03: If You Love Me, Why Am I Dyin’?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *