De repente, acidente

Ahn, bem. Eu leio tarot. Ganhei uma vez de presente de Natal um tarot bem bonitinho, só com os arcanos maiores (e os desenhos eram todos fofos e meiguinhos), depois comecei a ler um “tarot das bruxas” no qual todas as cartas eram essencialmente feminas e a partir daí comecei a colecionar decks, tenho desde o Tarot de Marselha até o do Crowley.

O fato é que o tempo passa, o tempo voa e bem, eu deixei isso meio de lado. Não gosto de ler tarot nem para mim, que dirá para outras pessoas (eu sinto meio que como enganando). Então, há uns quatro anos, eu abro apenas três exceções para a regra de não mais ler tarot: a mãe da Jô, a Jô e a Sol.

Enfim. Uma das regras básicas da leitura de tarot é dar alguma coisa para quem leu, como que uma forma de retribuir a energia que a pessoa gastou na leitura. Não, isso não justifica cobrar 80 reais para dizer para uma pessoa que ela conhecerá um moreno alto no ano que vem. No caso, a coisa é simbólica, vale qualquer coisa: um centavo, um almoço…

… ou, no caso da minha última leitura para a Sol, um livro :mrpurple:

Era aqui que eu queria chegar. Ganhei da Sol o livro “De repente, Acidentes” do Carl Solomon. Eu confesso que não lembrava de nadica sobre ele, e até me surpreendi em saber que ele está entre os beatniks (especialmente porque estudei os beats no semestre passado hehe).

Bom, foi uma boa surpresa. Não vou dizer que ele é soberbo, porque dá sua pisadinha de bola e erra a mão aqui e acolá, o que até dá para levar em conta se pensar que o sujeito teve uma vida… ahn… com-pli-ca-da (o poema The Howl do Allen Ginsberg é dedicado a ele, diga-se de passagem). Mas tem idéias ótimas e alguns textos muito interessantes. A figura em si é interessante, levando-se em conta que ele foi internado em hospital psiquiátrico e tudo o mais. Ahh, a vida de excessos…

Enfim, uma palhinha de Carl Solomon para quem ainda não conhece:

VIDA É

Vida é Gary Cooper combatendo os Árabes em seu uniforme da Legião Estrangeira.
Vida é ler Kierkegaard em 1948 na biblioteca da Rua 42.
Vida é andar entre os anos cinqüenta e os anos sessenta.
Vida é mãe, tias, primos e a lembrança do pai.
Vida é enumerar os suicídios e as psicoses deste e daquele.
Vida é ter raiva, raiva daqueles reais ou imaginários que se tornaram ricos e bem-sucedidos e sumiram deixando você mergulhado em desespero.
Vida é a velha fachada, boa para os anos cinqüenta mas que não serve mais, sempre sorrindo e sempre aparentando felicidade, ignorando todos os estados entre a felicidade e o desespero.
Vida é analisar verbos e escovar os dentes.
Vida é jogar Monopólio, Scrabble, Tênis, Ping-pong e tomar novos rumos.
Acima de tudo, vida é engano, quando os esquecidos retornam, quando você encontra velhos amores e novos ódios e eles se mesclam e se confundem numa trama que nunca percebemos por inteiro, de que desconhecemos os motivos fundamentais.

Obs. Em tempo: a carta ali (cinco de copas) é do Tarot da Vertigo, arte do Dave Mckean.

12 comentários em “De repente, acidente”

  1. vc teve o azar de só olhar quando eu resmungava qualquer coisa tipo naquela poesia que ele fala sobre o namorado com pênis de 20 e tantos cm dele. mas tem algo de bom perdido por ali.

  2. Ainda tenho guardado os resultado da sua última tirada pra mim! Só não lembrei de ver as semelhanças… hihihihihi Para mim o grande problema do tarôt são aquelas pessoas que fazem da previsão uma coisa certa e vivem para isso, ignorando os outros sinais e acontecimentos…
    uma vida de excessos… hahahaha
    beijos!

  3. Na verdade o que eu acho pior é o “Ah, o tarot disse que isso VAI acontecer”. Sempre que vou ler eu alerto para dois fatos:

    1. Eu não acredito nisso
    2. Se acreditasse, eu diria que seriam as forças atuando no momento, mas não previsões de acontecimentos

    :mrpurple:

  4. Acho engraçado o jeito que uma vida de excessos faz tão bons escritores. Sinto-me complemamente feliz por saber que Poe, por exemplo, era quase um inimigo de Deus. Não fosse por isso, oh, minhas noites de leitura seriam muito menos agradáveis 😈

  5. Oii…
    Quem sabe tu pudesse me ajudar sabe?
    Sobre o tarot ..eu tenho o tarot das bruxas que ganhei da minha mãe…mas sl…eu naun consigo interpreta mto bem..
    tu tem alguma interpretação diferente aí?

    Beijoo!

  6. Marih, a idéia do tarot é seguir mais a intuição na leitura do que “uma cartilha de interpretações”, digamos assim. Alguns significados básicos são ok em uma leitura dos arcanos maiores(tipo morte/mudança, enforcado/procrastinação, o mago/energia iniciadora, etc.) bem como dos menores (normalmente copas estão ligadas aos sentimentos, ouros ao trabalho, etc.), mas o melhor é você, durante a leitura, ver as cartas como pedacinhos de uma história, e ir juntando uma a outra para contá-la. O tarot das bruxas é aquele de caixinha preta e personagens femininas? Li bastante esse, as cartas são bacanas =]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.