Rosencrantz & Guildenstern estão mortos

Você gosta de Shakespeare? Gostou de Hamlet? Já teve contato com alguma coisa do teatro do absurdo? Gostou de Waiting for Godot do Beckett? Sempre gostou de humor inteligente? Se você respondeu sim para qualquer uma dessas perguntas, saiba que é quase certeza que você irá adorar a peça de Tom Stoppard (o mesmo sujeito que escreveu o roteiro Brazil com o Terry Gilliam), Rosencrantz & Guildenstern estão mortos.

(E antes que você torça o nariz, saiba que “ler” é uma opção, já que existe uma ótima adaptação da peça feita para o cinema com Gary “Dracula” Oldman e Tim “Mr. Orange” Roth. )

O charme da peça é que Stoppard transforma em personagens principais duas personagens que tem um papel bem pequeno dentro de Hamlet. Mais do que isso: a partir do momento que Rosencrantz e Guildenstern são inseridos dentro da história do Hamlet, abre-se a discussão para a impossibilidade de fugir do destino, no caso, eles vão morrer.

A melhor pista para eles (que parecem tão avoados com relação às suas vidas como Didi e Gogo de Waiting for Godot) de que não podem escapar do fim ao qual estão destinados, é a presença da trupe de atores que deixa claro para eles:

Well, we can do you blood and love without the rhetoric, and we can do you blood and rhetoric without the love, and we can do you all three concurrent or consecutive. But we can’t give you love and rhetoric without the blood. Blood is compulsory. They’re all blood, you see.

No final das contas, a peça vale principalmente pelo humor fino e inteligente. A peça é reacheada de ótimos diálogos (hilários!), como por exemplo:

Rosencrantz: So, we’ve got a letter which explains everything.
Guildenstern: You’ve got it!
Rosencrantz: I thought you had it.
Guildenstern: I do have it.
Rosencrantz: You have it?
Guildenstern: You’ve got it!
Rosencrantz: I don’t get it!
Guildenstern: You haven’t got it?
Rosencrantz: I just said that.
Guildenstern: I’ve got it.
Rosencrantz: Oh, I got it!
Guildenstern: Shutup!
Rosencrantz: Right.

Na versão para o cinema, confesso que fiquei boba com a atuação do Oldman, talvez uma das melhores personagens que ele já interpretou. Leva o Rosencrantz entre o inocente e o bobo, fazendo da personagem alguém extremamente carismático.

Concluindo: não é uma comédia fácil, mas vale a pena, sim. Especialmente se você acha que está emburrecendo com tanto humor escatológico tipo American Pie.

9 comentários em “Rosencrantz & Guildenstern estão mortos”

  1. Revi esse filme depois de anosssssss.
    E ele é muito bom!
    Da primeira vez q assiti eu nem conhecia a historia do Hamlet..heheehe
    O Gary Oldman está sensacional (e lindao demais)e esse filme foi o responsavel pelo inicio da minha paixonite pelo Tim Roth….recomendo!

  2. Lupippin on 25 Novembro, 2005 at 12:44 pm said:

    Revi esse filme depois de anosssssss.
    E ele é muito bom!
    Da primeira vez q assiti eu nem conhecia a historia do Hamlet..heheehe
    O Gary Oldman está sensacional (e lindao demais)e esse filme foi o responsavel pelo inicio da minha paixonite pelo Tim Roth….recomendo!

    Olha, se eu não tivesse assistido Cães de Aluguel antes, provavelmente tb teria me apaixonado pelo Tin Roth por causa desse papel :love:

    Nana on 25 Novembro, 2005 at 3:15 pm said:

    Sugestão anotada! 😉

    Ah! Esqueci de dizer que vc tem que ler o tarô-do-começo-de-ano pra mim! :mrgreen:

    Furonas do jeito que nós duas somos, estou vendo que será o tarô-do-começo-do-ano de 2010 😆

  3. Desculpa, mas essa parte q vc citou aí como humor fino e inteligente parece um diálogo do Hey, Dude, Where is my car?

    Hey Dude, what does my tatoo says?
    – Sweet
    What does my tatoo says?
    -Dude
    What does my tatoo says?
    – Sweet
    What does my tatoo says?
    Dude

    e aí vai até eles brigarem

  4. Lupippin on 25 Novembro, 2005 at 7:31 pm said:

    Vale lembrar que em determinado ponto da historia eles nem sabem mais quem é quem…. 😆

    Na verdade desde o começo, né? Sério, eu só fui saber quem era quem vendo o nome nos créditos do imdb. 😮

    Calvin on 25 Novembro, 2005 at 8:01 pm said:

    Desculpa, mas essa parte q vc citou aí como humor fino e inteligente parece um diálogo do Hey, Dude, Where is my car?

    Hey Dude, what does my tatoo says?
    – Sweet
    What does my tatoo says?
    -Dude
    What does my tatoo says?
    – Sweet
    What does my tatoo says?
    Dude

    e aí vai até eles brigarem

    Eu acho que você primeiro precisa *tentar* ver o filme. Contextualizando o diálogo, você vai ver que falou bobagem. =]

  5. Furona?? Nós?!?!?!? Qué isso…. :mrpurple: hihihihihi
    Tá bom então… fica a leitura do tarô-do-começo-do-ano MARCADO para 2014, daí já aproveita e faz previsões para Copa hehehehe 😆

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *