Reflexões Shakespearianas

O livro é absurdamente FODA. Bom, pelo menos para alguém apaixonada por Shakespeare como eu sou. E quer saber? Dane-se, vou fazer minha monografia do Inglês sobre Shakespeare mesmo. E com sorte um dia serei uma Liana Leão ou Barbara Heliodora da vida.

Eu estava pensando sobre as coisas que me fazem gostar tanto de estudar Literatura (por estudar leia-se “pesquisar, e não apenas ler o livro”). Eu acho que é pelo pé na História, como no caso desses estudos sobre Shakespeare que estou lendo.

No primeiro capítulo a Heliodora descreve todo o cenário histórico/social que levou Shakespeare a ser o que é. E isso inclui desde como o palco elisabetano foi criado, até as influências sobre o bardo.

É, é isso que quero fazer o resto da minha vida. Gatos, café e livros me farão uma pessoa feliz.

***

Aproveitando o gancho para comentar sobre uma conversa que tive com a Sarah (pasmem! foi no telefone! ), na qual ela disse que pelo que eu escrevo sobre a faculdade aqui no blog ela achava que eu era mó cdf.

Então, como funcionam as coisas para mim na faculdade: eu faço Letras sobretudo por paixão. Se fosse a questão de ter um diploma, eu teria continuado Jornalismo e buenas.Mas não, eu amo Literatura, e me dá um prazer desgraçado aprender mais e mais sobre isso. E aí eu faço as coisas com gosto, é óbvio.

Mas como nem tudo são flores, eu tenho umas disciplinas meio pé no saco que sou obrigada a cursar. Como já disse por aqui certa vez, odeio tradução. E as disciplinas de tradução eu fui empurrando com a barriga, tal como as que envolvem Inglês (porque eu também odeio Inglês).

E é por isso que meu ira (índice de rendimento acadêmico) não é um show. E é por isso que sobra tanto tempo para tomar café no CAL, hehehe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.