Voltando à correria

Leandro me salvou hoje, se eu tivesse que ir embora de ônibus depois do trampo, acho que sentaria no meio-fio ali na frente do HC e ficaria por lá mesmo. Caramba, como dar aula cansa.

Pelo menos compensa, todas minhas turmas são maravilhosas e é ótima essa troca entre professor e aluno. E melhor ainda é quando vem a Jô me contar que um aluno foi perguntar “Se a professora Ana Paula ainda dá aulas e em qual horário porque ele queria mudar para minha turma”.

Mas cansa. Putaquepariu, dói tudo.

***

Eu achei isso em algum canto, há muito tempo atrás, e deixei na minha pasta de históricos. Ah, bem. Diz ser do Aleister Crowley (O Livro das Mentiras, nunca li então não posso confirmar), mas sabe comé: bacana o texto é, então vamos lá.

Ensina-nos teu segredo, Mestre!, tagarelavam meus selvagens.
Então, para a dureza dos seus corações e para a sutileza das suas cabeças, eu os ensinei Magick.
Mas…ai!
Ensina-nos teu segredo real, Mestre! Como tornar-me invisível, como conseguir amor, e oh! além de tudo, como fazer ouro!
Mas quanto ouro vocês me darão pelo Segredo das Riquezas Infinitas?
Então disse o primeiro e o mais estúpido: Mestre, isso não é nada, mas aqui estão cem mil libras.
Isto eu aceitei condescendente e sussurrei em sua orelha este segredo:
UM OTÁRIO NASCE A CADA MINUTO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.