Atividade Paranormal 2

Ontem o Fábio perguntou se eu queria ver um filminho com ele, coisa que não fazemos desde setembro do ano passado. Aí topei, mesmo sendo Atividade Paranormal 2 (bom, eu tenho cá minhas reservas sobre os “2” ((Para provar minha teoria, o melhor filme 2 de todos os tempos não é 2, é 5, que é O império contra-ataca. E De volta para o futuro 2 vem como a exceção que comprava a regra, há!)) , sabe como é). Já tínhamos visto o primeiro, que até deu uns bons sustos fora um erro e outro que agora eles teriam a oportunidade de arrumar, mas a verdade é que o segundo filme escorrega nos mesmos problemas do anterior, e é até um pouco mais chato.

O que temos nessa história são os eventos que antecedem os ataques do demônio à casa de Micah e Katie, que vimos no primeiro filme. O foco agora é a família da irmã de Katie (Kristi), que acabou de ter um bebê. Nos primeiros dias da criança na casa, alguém invade a casa e faz a maior bagunça sem levar nada a não ser um colar que Katie tinha dado para a irmã. Kristi e o marido Daniel resolvem colocar câmeras por todos os cômodos, o que então começa a registrar as atividades paranormais.

O tal do demônio não começa sutilmente como foi com Micah e Katie, já chega tocando o horror (há, sem intenção do trocadilho!). Algumas cenas são bem fortes, mas a verdade é que o que me deixou com medo é que a atenção da entidade estava concentrada no bebê, Hunter. E bem, eu tenho um bebê em casa, que as vezes acorda no meio da noite chorando e adivinha se você não lembra disso na hora que o tal do Hunter acorda chorando? Sim, eu sei, é uma coisa idiota, especialmente agora de manhã, mas nas condições ideais de temperatura e pressão acabaram fazendo diferença.

(E adivinhe se hoje no meio da noite o Arthur não resolveu dar uma choradinha, só dar aquele friozinho na barriga da mãe dele, né? ><)

Mas fora isso, Atividade Paranormal 2 é um filme fraco em todos os sentidos, sobretudo o terror. É muito tempo de lenga-lenga sem a ação do demônio, quebrando a tensão criada pela atividade noturna. E quiseram ser mais sutis em alguns detalhes, mas se você está meio desatento acaba passando batido e aí nem assusta (porta abrindo quando a pessoa não vê, móbile mexendo sozinho, mulher aparecendo atrás do cara e depois sumindo, etc.).

A explicação para o motivo pelo qual a entidade estava atacando a família de Kristi também é uma coisa meio sem pé e nem cabeça, o que acaba influenciando um pouco na quebra da tensão. Talvez o ideal é que não tentassem explicar e deixassem só o registro da atividade mesmo.  De qualquer forma, acreditem, conseguiram ideia para um Atividade Paranormal 3, que reza a lenda virá ainda esse ano. Se eu já tenho minhas reservas sobre os “2”, imagina os “3”.

5 comentários em “Atividade Paranormal 2”

  1. Sério, aqueles planos gerais cheios de espaços mortos por todo lado é tipo Onde Está Wally, você fica olhando pra lá e pra cá tentando adivinhar onde alguma coisa vai aparecer e nem aparece nada. Esse filme é patético.

  2. Pelo menos pra uma coisa esses filmecos de terror de hoje servem: pra fazer com que procuremos assistir os antigos, aqueles bem assustadores, principalmente os do começos dos anos 80 pra trás, hehe

      1. É, aí complica mesmo. Tem duas outras opções: ou escarafunchar atrás de filmes bem obscuros, desconhecidos, ou então ficar um tempão sem assistir os filmes bons, pra esquecer um pouco, e aí poder assistir novamente, hehe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *