House M.D. S06E08 e S06E09

Sim, eu seiiii que atrasou. Eu não lembro bem a razão pela qual não escrevi na época que assisti ao episódio Wilson (S06E09), até porque foi um daqueles acima da média. Aí fui deixando, deixando e pans. Na realidade só estou atualizando aqui porque o Lucas me lembrava lá no Meia Palavra que eu ainda não tinha feito (e porque eu tenho uma pira com padrões e não conseguiria continuar falando dos outros episódios deixando esse buraco no meio).

Antes de mais nada, vamos às boas notícias. Para o pessoal que acompanha o calendário gringo e estava,  como eu, bem chateado sobre o intervalo de final de ano, saibam que falta pouco para podermos assistir novos episódios de House. Anotem aí na agenda a data do retorno: 10 de janeiro (sim, próximo domingo). Mas não esqueçam, o retorno é nos Estados Unidos. Os episódios que passam aqui no Brasil têm um curto atraso (até por questão de legendagem e afins).

Ok, então vamos aos comentários dos que estavam faltando. Ignorance is a Bliss (S06E08) chega com uma história bem interessante de um sujeito genial que larga a carreira para tornar-se entregador. E só para variar, o título tem relação não só com o que será apresentado pelo paciente, mas também pelas demais personagens. House ainda não muito feliz com a história da Cuddy com Lucas (a parte da ceia de Ação de Graças foi de partir o coração, mesmo sabendo que de certa forma House merecia aquilo), e todo mundo perturbando Chase para saber como ele está se sentindo por Cameron ter ido embora. Enfim, de certa forma tudo apontando que as vezes é melhor não saber.

E aí teve Wilson (S06E09), um episódio seguindo uma linha diferente da normalmente apresentada. Dessa vez o foco não é House (pelo menos não diretamente), como o próprio título já prevê, a história gira em torno de Wilson. E o bacana foi poder ver Wilson além daqueles momentos que ele está servindo de consciência de House, notar o modo como ele lida com os pacientes, a rotina dele. Foi bem interessante mesmo, e valeria a pena essa mudança de foco para outras personagens mais antigas da série, como a Cuddy por exemplo.

E mais legal ainda foi ver House completamente frágil e mostrando para o próprio Wilson o quanto precisa dele. É daqueles momentos sutis que acabam fazendo toda a diferença mais para frente, como dá para notar já na ação de Wilson na conclusão do episódio: ele compra o apartamento que Cuddy estava querendo, só para feri-la, porque ela fez isso com House. De certa forma algumas brigas que ele não comprava ele começou a se envolver, sobretudo pelo valor que dá à amizade dele (acho, hehe).

Foi uma ótima forma de chegar na pausa da temporada, até porque por ser um episódio acima da média (como comentei antes), é daqueles que deixa com gosto de quero mais. Agora é ver o que virá em janeiro. Eu aposto em um foco maior na relação de House com Cuddy, mas ao mesmo tempo já cansei de ser pega de surpresa com o que eles inventam, então o negócio é aguardar mesmo. Mas que fique registrado: não estou gostando NA-DI-CA desse negócio de Lucas. Blé.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *