Morte no Funeral

deathatafuneral-posterbig.jpgCom a semana mais sossegada estou conseguindo colocar as coisas em dia. Por exemplo, já estou no capítulo 9 dos 12 da segunda temporada de Dexter (e eu confesso que se arrastou um tico, mas ali nos minutos finais do sétimo episódio para o fim do nono, está de tirar o fôlego). E também estou assistindo filmitchos que eu queria ver mais o Fábio não porque ele não curte comédias.

Semana passada vi “O amor não tira férias”, bem bocó e só vale a pena pelo Jude Law. Hoje foi “Morte no Funeral“, uma produção alemã, norte-americana e britânica que vale alguns momentos bastante divertidos, sendo que o recurso mais utilizado, obviamente, é o de fazer graça com a frieza dos ingleses (como já na primeira cena, com o filho vendo que o defunto dentro do caixão entregue na casa dele não era o do pai, por exemplo).

A história em si é bem bobinha, daquele humor inocente, mas diverte. No funeral do pai, um anão (é) aproxima-se de Daniel para contar que o recém-falecido e ele eram amantes (é). Mas não, não é daí que vem o melhor do filme.

O destaque fica por conta de Simon (interpretado por Alan Tudyk), que está simplesmente impagável como o parente que por engano toma ácido e começa a pirar no meio do funeral. É de morrer de rir (sem intenção de trocadilho!), especialmente por causa das caras que ele faz quando fica locão. Sério, só por ele já vale a pena.

No final das contas tende mais para uma comédia familiar, muito embora um cara pelado no telhado não seja exatamente algo que eu mostraria para meus filhos, hehe. Se quiserem rir sem ser tratado como um idiota, não deixe de dar uma conferida em Morte no Funeral. Chegou nos cinemas em outubro e em alguns lugares do Brasil ainda dá para ver no cinema.

2 comentários em “Morte no Funeral”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *