E seguindo a trilha de Radiohead…

pic_home.jpgEis que o nine inch nails lança um novo álbum e coloca (algumas) músicas disponíveis para download gratuiro no site da banda. Trent Reznor não foi tão radical quanto o Radiohead, mas o projeto em si é grandioso. Ghosts I-IV apresenta 36 faixas instrumentais, todas gravadas durante dez semanas no último outono.

A sensação que dá é que o nin é mais um daqueles casos nos quais o artista se dá conta da existência da internet (muitos da indústria fonográfica AINDA preferem ignorar) e tenta a adaptação através de duas opções (o download gratuito de nove faixas ou o download do álbum completo por cinco dólares).

Mas, para agradar gregos e troianos, o projeto vai além: sim, há a opção de comprar um “cd” Ghosts I-IV. Na realidade, dois. Ao pagar o valor de dez dólares, você recebe um “pacote” virtual completo, que vai desde mp3 em alta qualidade, wallpapers, ícones até um pdf de 40 páginas. Além disso, para os mais apaixonados, por 75 dólares dá para levar a edição de luxo, que tem até blue-ray (além do pacote virtual completo como do produto anterior) – e pela foto, parece um mimo mesmo.

Aí, para os fanáticos tem a versão Ultra-de luxo (hehe), que custa “só” 300 dólares. O principal atrativo é que essa versão tem até quatro lps (vinis!!) acompanhando tudo o que os outros pacotes também têm. Detalhe: já esgotou. Fazendo uma continha rápida, já deu para embolsar 750.000 dólares, só nisso.

Resumo da ópera? Dá para encontrar soluções para a ação da internet no mercado fonográfico. Fácil não é, e bandas como Radiohead e nine inch nails só embarcam nestes experimentalismos porque já têm nome. Mas vejamos também o outro lado da moeda, né? Quase todos os sucessos musicais recentes (tipo Bonde do Rolê, Cansei de ser Sexy e afins), conquistaram um lugarzinho ao sol disponibilizando música de graça.

A história ainda não acabou e muita água vai rolar. Mas não dá para esperar que tudo se resolva magicamente, apenas aumentando o valor dos cds ou dos shows. Mas se vocês dão licença, vou ali baixar minhas musiquinhas gratuitas e ver se a pira nova do Reznor é boa ou não. Se quiser baixar, comprar ou sei lá o quê, as opções estão aqui.

6 comentários em “E seguindo a trilha de Radiohead…”

  1. Poisé, acho que hoje em dia os artistas dependem menos das grandes gravadoras para se promover. Acho que agora é mais questão de usar a caixola e ser original mesmo.

  2. Eu lembro quando meu irmão me ralava por ouvir NIN. De uns meses pra cá ele baixou todos os discos e é um verdadeiro fã do Trent Reznor. Eu estou com todas as 36 prontinhas para ouvir lá em casa porque ele baixou. 😆

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.