True Blood Season Premiere

Demorou mas a espera acabou, finalmente comeeeeça a nova temporada de True Blood. Se você nunca viu True Blood clica aqui. Se já assistiu ao primeiro episódio da sexta temporada ou não tem medo de spoilers (nem do Bilith) clica aqui e vem comigo _o/

Bilith!
Tchan!

Assistindo ao primeiro episódio da sexta temporada (Who Are You, Really?) fiquei pensando que ele poderia ser o terceiro da quinta, sabe? Que todo aquele blablablabla político e religioso de Lilith e Authority poderiam ter ficado com uns dois episódios, para chegarmos nesse momento. Porque esse começo de temporada foi melhor do que toda a quinta temporada, com certeza. As coisas finalmente acontecendo, mesmo que de um jeito meio wtf, mas convenhamos, você não chega na sexta temporada de True Blood sem se acostumar com a wtfuckness da série, certo? Então, recapitulando:

  • Os seguidores de Lilith destruíram todas as fáricas de True Blood
  • Os vampiros que queriam só viver de boas entre os humanos ficam loucões com a falta de sangue sintético
  • Bill fica loucão depois de beber todo o sangue de Lilith

É nesse ponto que começa o episódio, com a fuga de Sookie e companhia do QG da Authority. Os minutos iniciais que marcam a fuga são bem rápidos, mas trazem por exemplo a Pam como eu sempre gostei da Pam (melhor ainda porque já chegou odiando a Nora), Jason daquele jeito meio sonso e engraçado dele e a certeza de que tem muita coisa para acontecer com essa temporada, já que logo ficamos sabendo que Warlow não só é o carinha que em teoria é ‘dono’ da Sookie, mas ele também é, upz, cria de Lilith. Já mencionei que ele é interpretado por Rutger Hauer?

Do vampires dream of electric sheep?
Do vampires dream of electric sheep?

Então já temos na conta aí Bilith e Warlow. Mãããs não é só isso! Se você ligar agora para 0111406 você ainda leva um governador falcatrua que decide declarar guerra aos vampiros, incitando o povo a comprar armas para se defender, declarando toque de recolher e fechando os negócios dos dentuços! Enfim, gostei que dessa vez já jogaram todas as peças de primeira, sem enrolação de quatro, cinco episódios para construir a ação. Eu gosto de True Blood (não acompanharia a série por seis anos caso não gostasse), mas um grande defeito na minha opinião sempre foi o de embromar demais para fazer uns três último episódios corridos. Para ter ideia do que estou falando, dá uma olhada nesse promo dos próximos episódios. É tanta coisa para acontecer que não tem tempo para enrolação.

A melhor consequência disso é como as subtramas ficam curtinhas, com menos tempo. Lembram dos looooooongos minutos de drama de Sam? Curtinho e indolor. Os looooooooongos minutos de drama de Alcide e sua matilha? Curtinho e indolor (e bizarro, se considerar o threesome, mas né, de novo: é True Blood). Para falar bem a verdade, é a primeira vez que mesmo que em clima diferente as subtramas parecem manter o ritmo do episódio, sem ser aquela hora em que você pensa que pans, vou ali buscar um café e já volto. Exemplo: as crianças do Bellefleuer. Parece melhor costurado, dosado. Espero que continue assim, porque para os próximos episódios além do trio Bilith – Warlow – Governador ainda tem treta com a matilha do Alcide (as usual), treta com o Sam como shifter (as usual), treta com as fadas (as usual), e por aí vai. Aliás, falando de tramas secundárias, bom ver Lafayette cada vez mais como aquele Lafayette da primeira temporada.

I know what you mean, bro.
I know what you mean, bro.

 

E ok, eu estava deixando isso para o fim. Há algumas semanas no tumblr só falavam de uma cena que tinha vazado em que Eric e Sookie rompiam. Vocês sabem, uma noveleira mora dentro de mim e eu sou totalmente team Eric então estava bem curiosa sobre isso. E sim, foi um momento fofo, com toda aquela conversa da garota do vestido branco, mas de boas que eu torço para que o fato de essa sexta temporada não ter mais absolutamente nada a ver com os livros… hum, peraí que isso é spoiler para quem ainda não leu o último livro da série

spoiler do livro
represente também um “nada a ver com os livros” sobre o futuro de Sookie e Eric. BTW, comecei a ler o último livro e abandonei a leitura porque a) era o pior de todos os escritos pela Harris e b) Sookie não fica com o Eric no final.

Mas divago. Importante é que eu estava com medo do que representaria a saída do Alan Ball para a série, mas aparentemente foi bom. Mas ok, meio cedo para comemorar. Mas relendo aqui o que escrevi sobre os primeiros episódios das temporadas anteriores, esse é by far o melhor de toda a série. Aliás, entrou na seleção de um dos melhores episódios da série como um todo, não só como inicial. Negócio é torcer para que o ritmo continue bom e que por favorzinho com queijo, sejam infundados esses boatos que andam se espalhando por aí de que essa temporada seria a última. Muita sacanagem acabar logo quando fica bom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *