Aurora da minha vida

bebeSabe, todo mundo tem aquela guloseima preferida que carrega o sabor da infância e com ele uma série de recordações agradáveis. Tenho amigos que falam dos chocolates “Lolo” como uma espécie de ídolo-de-cacau-da-nostalgia. Isso para não falar dos suspiros quando alguém fala de “Cheetos” ou “Miliopã”.

No meu caso, o fato de eu ser precocemente excêntrica fez com que todas minhas lembranças “gastronômicas” mais queridas envolvessem produtos meio estranhos que já não estão mais à venda e dos quais a maioria das pessoas sequer lembra. Alguns deles:

zambinosZAMBINOS – Uma coisa que me escapa é porque diabos insisto em chamar o salgadinho com formatinho de pizza de ‘zambitos’ e não ‘zambinos’. De qualquer forma, é ÓBVIO que todos lembram desse. Não era exatamente o favorito, não fedia tanto quanto o Cebolitos e nem era tão caro quanto o Doritos. Talvez por causa dessa mediocridade toda que recentemente voltou a ser vendido e logo depois tiraram do mercado. Foi tão rápido que nem cheguei a comer, que droga.

softBALA SOFT – “Ih, qualé dessa Anica? Diz que tinha gosto diferente mas tá aí falando de doces super comuns.” Calma, minha gente. Como 9,5 em cada 10 crianças dos anos 80 eu também quase morri engasgada com uma bala soft (aquele 1/2 ali é dos casos que a bala escorregava mas a criança não chega a engasgar). O fato é que meu sabores preferidos eram peculiares: goiaba e maçã verde. Uma era vendida em um pacote de frutas tropicais (tinha de côco e pitanga também) e outra era vendida num pacote com um adão e uma eva desenhadinhos. Infelizmente, as balas ficaram quadradinhas e depois eu nunca mais vi. E uma observação importante: fui procurar figura de bala soft e não achei nenhuma. Aparentemente as pessoas nos anos 80 preferiam tirar fotos dos primeiros passos de seus filhos ao invés de tirar foto de doces que um dia sumiriam das prateleiras.

confetiCONFETI DE MENTA – A única pessoa que lembra disso é minha irmã. Eu juro, não foi sonho, minha paixão por chocolate e menta começou aí! Todas as bolinhas eram verdinhas, e tinha um gostinho muito bom. Mas enfim, como tudo que eu gosto, acabou sumindo das prateleiras sem deixar um histórico que comprove sua existência. Nada de foto, nada de testemunhas. 🙁

vinaVINA COM QUEIJO – Aos não curitibanos “salsicha com queijo”. Sim, era um treco estranho, mas era lôco de bom. Tinha um queijo com uma consistência de catupiry no centro da vina, e aí rendia brincadeiras sobre o que estava “saindo” da vina, e talvez por causa dessas brincadeiras o produto não vingou e piuft, sumiu. Eu ainda acho que eles deveriam tentar mais uma vez, imagina só um cachorro quente prensado com vina recheada com queijo? Nhãmi!

15 pensamentos em “Aurora da minha vida”

  1. Eu faço parte das crianças que quase morreram com uma bala soft engasgada, mas em eu quase morri também por causa do jogo War. Eu tinha uns 3 anos e meu pai era viciado nisso, depois de uma partida com os amigos lagou as peças e eu “tum” enfiei uma dentro do nariz, daí não conseguia respiriar :dente:

    Para salgadinhos eu sempre fui esquisito (não só para salgadinhos, é verdade), gostava do Sticks (aquelas varetinhas salgadas) e do Pingo d’Ouro.

    Ah! Vc não está louca, eu me lembro de confeti de menta… e era bom.

  2. Zambinos! O melhor do mundo! Era esse que, na coleção dos dinossauros, era o do tricerátops, num era?

    E você fala vina também! Cada vez mais raro achar isso! Paguei um pau agora!

    smack

  3. Bala soft…..a de maçã verde era um clássico, azedinha, muito boa……e Lolo, não sei pq, parece que era mais gostoso….mas essa história de “vina” é meio estranha….

  4. Não é só a sua irmã que se lembra do confeti de menta…eu tb amava essa guloseima, pena que não existe mais!! Quase ninguém conhece, acho que eu e vc fomos as únicas pessoas que compraram!!! :iei: :joy:

  5. Confeti de Menta. Meu Deus eu era apaixonada. Comprava colocava no bolso e ia comendo, Estava na internet procurando informações e achei seu site, que delicia até hoje espero que retorne.

  6. Eu também lembro do confeti de Menta e lembro que um pouco antes de não vender mais, eu costumava achar nos Aeroportos, também já procurei no google e não acho nem que ele existiu, o que é uma pena pois era maravilhoso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *