113103066117865469

Hoje eu estive pensando em como deve ser difícil definir uma palavra da Língua Portuguesa para alguém que não é falante nativo. Não é simplesmente uma questão de tradução, tipo dizer “Amor is love” ou “Morte is death”. É tipo explicar a palavra mesmo, como vemos em dicionários e enciclopédias.

Como definir saudades? Amizade? Decepção? Aquele texto bonitinho do Mário Prata que postei uma vez no Hellfire antigo até ajuda, mas não sei se dá a totalidade do sentido.

“Raiva, é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes.

Tristeza, é uma mão gigante que aperta o seu coração..”

***

Enfim, decidi que vou cursar Psicolingüística semestre que vem, just for fun.

E talvez Latim (mas dessa vez vou até o fim) – até rimou hehe. Serua est.

Definitivamente a optativa da Sandra.

Adoro final de semestre.

***

O dia dos mortos veio carregado de filmes de terror. Se bem que Chave Mestra é mais suspense do que terror (fim interessante, mas o começo e o meio foram mal conduzidos).

O charme ficou por conta dos filmes do Lucio Fulci, digamos assim, figura importante dentro do gênero splatter (e de quem nunca tinha ouvido falar até ontem).

Vimos City of the Living Dead que foi razoavelemente interessante e The Beyond, que embora tenha deixado um monte de pontas soltas, é assustador e muito bom.

Assim. Se você é todo cheio de frescuras “ui-olha-o-sangue-ali”, passe longe dos filmes do Fulci. Mas se, como eu, você gosta dessas tosqueiras, pode procurar que vale a pena.

Troféu joinha =]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *