Vidas Breves

“Isso é tolice. Por que sofrer tanto? Eu mal a conheci. Um punhado de meses, pouco mais… Eu teria lhe dado mundos só seus, atados como safiras e esmeraldas num cordão de seda. Eu teria lhe dado… Eu não paro de pensar em seus olhos fitando o infinito. Olhos frios, avaliando-me desapaixonadamente… E no fim, ela me disse. Mas eu já sabia. Estava lá, em seus olhos. Ela tinha decidido não me amar mais.”
Sonho – Vidas Breves

Difícil escolher o melhor arco de história de Sandman. Aliás, preciso reler todos, faz um tempão desde a última vez que eu li. O mais legal de Sandman é que toda vez que você lê dá para descobrir alguma referência nova… Por exemplo, a que o Gaiman faz ao Crowley em Prelúdios e Noturnos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *