Anica por Gregório de Matos

Estou me divertindo com umas poesias do Gregório de Matos que eu encontrei. Olha só:

Não te posso ver, Anica,
por mais que Amor me desperte,
que tu és muito tirana,
e serás ingrata sempre.
Se foras compadecida,
não cessara de querer-te,
pois a beleza humanada
Continue lendo “Anica por Gregório de Matos”

Os Argonautas

Como eu tinha prometido, vou explicar a relação entre Os Argonautas do Caetano Veloso e o Mensagem, do Fernando Pessoa. Para começar, aí vai a letra da música do Caetano:

Os Argonautas

o barco, meu coração não aguenta
tanta tormenta
alegria, meu coração não contenta
o dia, o marco, meu coração
o porto, não
navegar é preciso
viver não é preciso
o barco, noite no teu tão bonito
sorriso solto perdido
horizonte, madrugada
o riso, o arco, da madrugada
o porto, nada
navegar é preciso
viver não é preciso
o barco, o automóvel brilhante
o trilho solto, o barulho
do meu dente em tua veia
o sangue, o charco, barulho lento
o porto silêncio

Continue lendo “Os Argonautas”

Por um Casamento (Rubem Alves)

O meu fascínio por ritos me faz suspeitar que, numa outra vida, é possível que eu tenha sido um sacerdote ou um feiticeiro. Hoje, pouca gente sabe o que são. Um rito acontece quando um poema, achando que as palavras não bastam, se encarna em gestos, em comida e bebida, em cores e perfumes, em música e dança. O rito é um poema transformado em festa!

Escrevo hoje para os que casam, por medo de que, fascinados por um rito, se esqueçam do outro… Porque, caso não saibam, é desse outro rito, esquecido, que o casamento depende.

Continue lendo “Por um Casamento (Rubem Alves)”

Segunda tentativa

É… acho que é a segunda tentativa. Eu não manjo nada de blog, odiei minha doll, preciso urgentemente de um layout, mas vam’lá… se eu não começar nunca vou aprender mesmo

Para começar, um trecho de um texto que diz a lenda que é do Shakespeare. Tá rolando pela inet, todo mundo acha “bonitinho” e manda para o amigo, que manda para o amigo… eu tenho minhas dúvidas se é do Shakespeare mesmo. Não é bem o estilo dele, acho.

Continue lendo “Segunda tentativa”