Histórias de Natal

Natal? Agora, Anica? Sim, eu sei que é dia 27. Mas eu estou caradepaumente copiando um post que coloquei no Meia Palavra no dia 25/12, só porque não gosto de deixar o blog sem atualização por muito tempo (e nesta semana estranha entre o natal e o ano novo a tendência é que ele fique às moscas mesmo). O original você pode conferir aqui.

É quase um top5 de histórias com Natal como pano de fundo. Quase top5 porque são cinco mas elas estão organizadas de forma aleatória, e não de favoritismo (como acontece com os top5). Aproveito e já deixo o espaço aberto aqui: você lembra de alguma história com ano novo como pano de fundo? Não consigo pensar em nada agora, fora Harry& Sally (mas aí já é cinema). Se você lembrar, comenta aí e refresque minha memória, hehe.

O Peru de Natal (Mario de Andrade):

Se tem um feriado familiar, este é o Natal. E talvez por isso evoque tantas histórias como O Peru de Natal, de Mario de Andrade.  Presente na coletânea Contos Novos (publicados postumamente em 1947), não deixa de ser uma bela crítica ao modo como nos comportamos nesta data, e do que deveria realmente significar o Natal para uma família. O narrador conta como foi o primeiro natal da família sem a presença do pai, e a mudança que isso traz para todos.

Como O Grinch Roubou O Natal (Dr. Seuss):

Talvez por conta da adaptação para o cinema, mas não deixa de ser interessante a forma como um livro popular para crianças estrangeiras começou a virar referência até para quem não leu quando ainda era pequeno. Fale de Grinch e a maior parte das pessoas lembrará daquele monstrinho verde que não suporta o Natal (o que acabou rendendo apelido para muita gente que não fica feliz nesta época do ano). A tradução no Brasil saiu pela Companhia das Letrinhas.

Missa do Galo ((Download disponível na Biblioteca Meia Palavra)) (Machado de Assis)

Publicado pela primeira vez em 1863, é presença constante em qualquer coletânea de contos do Machadão, talvez por ser um daqueles que apresente tão bem elementos constantes de sua obra (adultério e ambiguidade das pessoas). A história é narrada por Nogueira, que na noite de natal conversa com Conceição, uma mulher mais velha, casada. De primeira parece que nada acontece ali, mas como todo bom conto machadiano, o mais importante da história está nos detalhes e, principalmente, no que não foi dito. Vale a pena conhecer o conto sem aquele peso de “leitura para vestibular”, é realmente muito legal.

Memória de Natal (Truman Capote)

Publicado pela primeira vez em 1956, no Brasil é possível encontrá-lo no livro Bonequinha de Luxo (Companhia das Letras). Cheio de imagens lindas e de uma sensibilidade encantadora. É um conto que traz um tema recorrente quando se trata de Natal: a nostalgia. De forma doce um rapaz conta suas lembranças sobre uma velha senhora que vivia na mesma casa que ele, e de como se preparavam para esta data tão especial. É realmente um conto muito gostoso, e mesmo que cheio de elementos de natal que não são familiares aos brasileiros, o sentimento presente nele é universal.

Um Conto de Natal ((Download disponível na Biblioteca Meia Palavra)) (Charles Dickens)

Talvez uma das histórias mais populares de natal de todos os tempos. Mesmo quem não leu o livro de alguma maneira já encontrou uma das ‘n’ releituras da obra de Dickens, que retrata um senhor mesquinho que após a visita de três fantasmas no natal passa a rever sua postura com relação ao mundo. Embora a tradução do título no Brasil seja “conto”, a história é um pouco mais longa do que isso –  talvez até por isso a leitura ideal para esta semana entre o natal e o ano novo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *