Nostalgia internética

Eu morri de rir vendo a imagem, mas eu acho que só fará algum sentido para aqueles desbravadores da internet, que passavam por aquele momento de tensão/angústia enquanto uma imagem carregava aos poucos por causa de velocidades impressionantes que modems de 36.600 kbps eram capazes de gerar. BTW, o meu era um de 36, mas raramente passava de 31.200. Já sacou o drama, né? Domingão eu vivia caindo, e ainda por cima só reconectava a 14.400. Oh, vida.

Ok, voltemos à imagem. Vocês terão que clicar no mítico Leia mais (eu tenho aqui minha teoria que só 10% dos leitores clicam nisso) para conferir. Não porque seja um castigo de teacher, na verdade é que eu realmente não curto imagens muito grandes no começo do post, acaba quebrando o padrão geral. Sim, sou neurótica.

***

Aproveitando para deixar meus agradecimentos ao Rodrigo por me fazer rir um monte (e por lembrar de mim, nhóum!) com um post sobre bibliotecas, hehe.

7 comentários em “Nostalgia internética”

  1. Eu também comecei com o Compaq Presario, P133 16MB de RAM e o super modem 36.600 bps em 1997. Mas eu era um cara sortudo: o modem do Presario era algo de outro mundo de tão rápido! Eu conectava na capacidade máxima da placa.

    Me lembro inclusive uma vez que o atendente da assistência técnica do meu provedor não acreditou em mim quando falei isso. Pela primeira vez eu me senti muito feliz por ter aquela lata velha. :mrpurple:

    Fico feliz que tenha gostado da imagem. 😉

  2. Conectar domingo? Nem pensar. Conecta. Cai. Conecta. Cai. Conecta. Cai. Para futucar na internet, só de noite e madrugada, quando não tinha risco dos pulsos encherem a conta telefônica e o modem não ficava numa montanha russa.

    A imagem é ótima. 😆

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.